O modelo foi desenvolvido pela Jaguar e pela divisão SV para a franquia Gran Turismo

A velocidade máxima de 410 km/h, o design aerodinâmico calibrado ao milímetro e a tecnologia de motor para ganhar corridas definem o Jaguar Vision Gran Turismo SV, o modelo virtual totalmente elétrico desenvolvido para o jogo Gran Turismo e transferido para a escala real.

O Jaguar Vision Gran Turismo Coupé, apresentado em outubro de 2019, foi o primeiro desportivo totalmente elétrico da Jaguar criado para a saga Gran Turismo. Para as equipes da Jaguar Design, SV e Racing, o Vision GT Coupé foi apenas o ponto de partida para o desenvolvimento do Vision GT SV. Aproveitaram a oportunidade para avaliar cada detalhe que podia ser melhorado enquanto redefiniam o conceito de carro elétrico da Jaguar para provas de resistência.

A análise em profundidade dos comentários dos jogadores em fóruns e vídeos on-line teve um papel-chave nesse processo. Essas “provas no mundo virtual” foram reunidas com numerosas horas “ao volante” para que as equipes de design e engenharia pudessem determinar com precisão a forma de otimizar o Vision GT SV até torná-lo o elétrico perfeito para provas de resistência.

Criado para ser o maior foguete para provas virtuais de resistência, o Jaguar Vision GT SV presta homenagem à sua linhagem ilustre não apenas com referências de estilo e aparência como também com cores distintas de competição que evocam momentos históricos, como as estreias em Le Mans do C-Type e do D-Type em 1951 e 1954, respectivamente.

Desenvolvido por engenheiros especializados

A estrutura de carroçaria em material composto, leve e aerodinâmico, incorpora agora quatro motores elétricos concebidos pelas equipes da Jaguar Racing e SV (o Coupé dispunha apenas de três). Em conjunto, desenvolvem uma potência de 1.903 CV (1.400 kW) e 3.360 Nm de binário instantâneo com as vantagens de tração e dinâmica da tração integral inteligente, e a distribuição de binário. Acelera de 0 a 96 km/h em apenas 1,65 segundo e atinge uma velocidade máxima de 410 km/h.
O perfil elegante do Vision GT Coupé diferencia-se claramente no GT SV, incluindo os spoilers curvos inspirados no C-Type e o D-Type. A distância entre eixos mantém-se em 2.721 mm apesar da incorporação de um motor adicional que impulsiona o eixo dianteiro.

O novo modelo mede 5.540 mm de extremo a extremo, sendo 861 mm mais longo para maximizar a aerodinâmica. Novidades como o splitter dianteiro e o spoiler traseiro articulado conseguem aumentar a aderência para melhorar a estabilidade, a velocidade elevada e aumentar a tração para curvas mais rápidas no GT SV.
Graças a tudo isso, o GT SV tem uma resistência aerodinâmica bastante baixa para um veículo de competição (0,398 Cd) e gera uma carga de 483 kg a 322 km/h.

Performance eletrizante

Os engenheiros da Jaguar Racing desenvolveram o extraordinário sistema de propulsão elétrico de quatro motores do GT SV, além de desenharem o sistema do primeiro Jaguar Vision GT, tirando partido dos seus conhecimentos e experiência com o Jaguar I-TYPE adquiridos ao longo de seis temporadas consecutivas.
O trabalho foi repartido em duas fases principais: foi incorporado um segundo motor de 407 CV (300 kW) no eixo dianteiro para disponibilizar o aumento necessário de potência e binário. Em seguida, o sistema de gestão térmica foi otimizado para suportar cargas superiores e assegurar que a condução constante a velocidades elevadas e a aceleração extrema se mantivessem durante toda a prova de resistência.

O sistema de propulsão do GT SV inclui um motor para cada roda, desenvolvendo uma potência combinada de 1.903 CV (1.400 kW) e 3.360 Nm de binário. Cada motor tem a sua própria caixa de uma velocidade, para proporcionar resistência e robustez exigidos pelos elevados valores de binário, níveis mínimos de massa e fricção que otimizam a eficiência e uma velocidade máxima de 410 km/h.

A potência é disponibilizada por uma bateria vanguardista de íons de lítio instalada na zona inferior da estrutura de carroçaria leve e rígida do GT SV para proporcionar níveis baixos para o centro de gravidade e aceleração sobre o eixo longitudinal, bem como uma distribuição de peso quase perfeita.
O sistema de gestão térmica é otimizado com um circuito adicional de azoto líquido que disponibiliza maior capacidade para que a bateria disponibilize a máxima potência durante mais tempo dentro do seu intervalo ideal de temperatura. A refrigeração com azoto encontra-se também ligada ao botão de propulsão da cabine para assegurar que a bateria esteja sempre abaixo do limite de temperatura, mesmo nas condições mais exigentes.

Máxima experiência de condução virtual

A sonoridade única do motor, fundamental para a experiência de condução instintiva do Jaguar Vision GT Coupé, atinge valores ainda maiores na versão GT SV. Graças ao aumento de potência e binário que resulta passar de três para quatro motores elétricos, o GT SV produz uma sonoridade ainda mais imponente e distinta, como um verdadeiro Jaguar do futuro. A caminho da redline a 40.000 rpm, demonstra que incorpora o DNA genuíno automóvel e faz as delícias dos condutores como nenhum outro modelo.

A experiência é completada com um interior concebido para a competição. As superfícies puras e amplas da cabine envolvem o condutor e permitem que os instrumentos e controles sejam incorporados na posição perfeita. Todos os elementos foram concebidos com uma qualidade de acabamentos artesanal, com qualidade e precisão, utilizando materiais leves e vanguardistas, como os novos tecidos TYPEFIBRE que revestem os dois bancos esculturais em materiais compostos. TYPEFIBRE é um sistema inovador de materiais de alto desenpenho desenvolvido pela Jaguar para proporcionar uma alternativa mais leve ao couro com níveis extraordinários de conforto e durabilidade. A Jaguar Racing testará os tecidos TYPEFIBRE no I-TYPE 5 durante a sétima temporada do campeonato mundial ABB FIA Fórmula E.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Mercedes-Benz exporta 50 caminhões Accelo para transporte de bebidas no Peru

Escolha pelos caminhões Accelo 815 produzidos no Brasil deve-se a fatores como tecnologia …