Os novos modelos da Jaguar e Land Rover terão tapetes e revestimentos produzidos com fios de ECONYL®, obtidos a partir de resíduos plásticos

A Jaguar Land Rover utilizará nylon ECONYL® para criar interiores de alta qualidade produzidos a partir de resíduos procedentes dos oceanos e de aterros.
Os modelos de nova geração da Jaguar e da Land Rover terão tapetes e revestimentos produzidos em fibra ECONYL® procedente de diversas fontes: plástico industrial reciclado, restos de tecidos de fabricantes de produtos têxteis, redes de pesca da indústria piscatória, além daquelas que ficam abandonadas nos oceanos, conhecidas como “redes fantasmas”.

O compromisso assumido pela Jaguar Land Rover de criar interiores sustentáveis e luxuosos utilizando materiais reciclados e obtidos de maneira responsável integra a sua estratégia Destination Zero, em que a inovação é uma ferramenta fundamental para proteger e limpar os ecossistemas, e, adicionalmente, disponibiliza aos clientes a possibilidade de selecionar uma opção premium e sustentável.

O nylon regenerado ECONYL®, criado pela Aquafil, líder mundial no setor de fibras sintéticas, já foi utilizado na alta-costura e nas indústrias de vestuário desportivo, nos relógios de luxo e em pulseiras para relógios, e para fabricar bolsas, mochilas, trajes de banho.

A Aquafil recicla resíduos de nylon de todo o mundo. Em apenas um ano, a empresa recicla até 40.000 toneladas de resíduos. Esse processo de reciclagem reduz o impacto do nylon no aquecimento global em 90%, em comparação com o material procedente do petróleo. A cada 10.000 toneladas produzidas de matéria-prima da ECONYL®, evitam-se 65.100 toneladas de emissões de dióxido de carbono, equivalentes à utilização de 70.000 barris de petróleo.

Os resíduos são analisados, processados e preparados nos centros de tratamento mais modernos. Posteriormente, são enviados para uma fábrica de produtos químicos, onde é obtida a matéria-prima dos resíduos de nylon por meio de um processo de tratamento químico denominado despolimerização. Essa matéria-prima se transforma no fio conhecido como ECONYL®.

Durante o processo, são obtidos produtos derivados, como materiais metálicos que não são de nylon ou sulfato de cobre, que são utilizados para evitar o crescimento de algas nas redes de pesca. Esses produtos são enviados para empresas de outros setores para reciclagem.

O polímero de nylon regenerado ECONYL® tem as mesmas características químicas e funcionais que a matéria-prima de origem fóssil, assegurando que possa ser processado para obter fibras que são utilizadas em produtos têxteis e tapetes.

Esse fio pode destinar-se à produção de tapetes para os novos modelos da Jaguar e da Land Rover, com o objetivo de utilizar mais materiais sustentáveis que respeitem o meio ambiente e proporcionem aos clientes um produto resistente e de alta qualidade. Esse processo é um impulso para a Jaguar Land Rover no seu percurso para uma economia circular integrado na sua estratégia Destination Zero.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Ônibus VW moderniza frota argentina de transporte público

Como motorização MAN D08, esses dois Volksbus têm sistema EGR de tratamento de emissões, d…