Um fim de semana dos sonhos teve José-María López, piloto da Citroën, no autódromo Termas de Río Hondo, na Argentina. O piloto argentino somou os 55 pontos possíveis após a obtenção de uma pole position e de duas vitórias, o que lhe permitiu abrir uma vantagem maior ainda sobre seus dois companheiros de equipe, os franceses Yvan Muller e Sébastien Loeb. Agora, Lopez tem 60 pontos de liderança no Campeonato Mundial de Carros de Turismo, o WTCC.
 
López classificou-se imediatamente à frente dos dois companheiros. O argentino largou perfeitamente, diferentemente dos dois franceses que perderam posição para Norbert Michelisz. As quatro primeiras colocações foram mantidas e, depois de 13 voltas, López fez os cerca de 40 mil espectadores vibrarem com uma segura vitória em casa.
 
\"\"
 
Na segunda prova, López tinha a missão de largar em décimo, já que havia sido o pole position da corrida inicial. Também por causa do que diz o regulamento, Yvan Muller e Sébastien Loeb ocupavam a nona e a oitava posições do grid, respectivamente. Mas, quando foi autorizada a largada, Loeb perdeu três posições, e Muller optou por uma estratégia conservadora. Tudo isso foi benéfico a López, que se viu em sétimo ao fim da primeira volta.
 
Os três pilotos da Citroën começaram a fazer ultrapassagens. Yvan Muller protagonizou grandes momentos em uma disputa com Tom Chilton que durou quase três voltas inteiras. Sébastien Loeb impressionou também e superou Michelisz, mas o preferido da torcida era sem dúvida José-María López, que ultrapassou Rob Huff a cinco voltas do fim e assumiu a liderança da prova. Yvan Muller, terceiro colocado, também foi ao pódio, e Sébastien Loeb obteve a sexta posição.
 
Depois de tudo isso, López celebrou o resultado. “Algumas pessoas podem dizer ser muito previsível começar um discurso agradecendo a todos, mas é assim que me sinto agora. Sem minha família e sem a Citroën eu não estaria aqui. Sinto-me orgulhoso por fazer parte da Citroën Racing e por ter Yvan e Seb como companheiros de equipe”, comemorou. “Minha experiência nessa pista me ajudou muito, mas estava preocupado com as largadas, que são ainda um ponto fraco meu. Ainda bem que tudo foi bem! A segunda prova foi realmente empolgante. O carro ficava cada vez mais rápido e eu consegui chegar à primeira posição. Foi um fim de semana perfeito, e não há lugar onde eu mais desejaria ter um desempenho assim.”
 
\"\"
 
O chefe de equipe da Citroën, Yves Matton, revelou que López se cobrou bastante. “Este fim de semana foi um dos mais emotivos da história da Citroën Racing. Pechito pode não ter aparentado, mas estava sob enorme pressão, pois estava desesperado por um bom desempenho em casa. Mas ele se tornou o primeiro piloto neste ano a ter obtido pontuação máxima”.
 
Yvan Muller admitiu superioridade de López em Termas de Río Hondo. “Uma vez que percebi isso, tinha de minimizar o dano e tentar fazer com que ele não abrisse muita vantagem no Mundial. E a equipe fez um trabalho brilhante, pude tirar o máximo do carro”, afirmou. De acordo com Loeb, ele não teve um fim de semana ideal, mas se contentou com as manobras de ultrapassagem. “Já me considero fora da luta pelo título”, admitiu, já que está quase cem pontos atrás de López, faltando quatro etapas (todas com rodada dupla) para o final da temporada. 
 
Corrida 1
1º José-María López (Citroën C-Elysée WTCC) 
2º Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)
3º Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC) 
4º Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
5º Tiago Monteiro (Honda Civic WTCC) 
Volta mais rápida: José-María López (1:46.456)
 
Corrida 2
1º José-María López (Citroën C-Elysée WTCC)
2º Rob Huff (Lada Granta 1.6T)
3º Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)
4º Gabriele Tarquini (Honda Civic WTCC)
5º Tiago Monteiro (Honda Civic WTCC)
6º Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
Volta mais rápida: José-María López (1:45.926)
 
Mundial de Pilotos
1º José-María López, 310 pontos
2º Yvan Muller, 250 pontos
3º Sébastien Loeb, 213 pontos
4º Tiago Monteiro, 146 pontos
5º Gabriele Tarquini, 121 pontos
Mundial de Construtores
1º Citroën Total, 686 pontos
2º Honda, 454 pontos
3º Lada, 247 pontos
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

 

 
Um fim de semana dos sonhos teve José-María López, piloto da Citroën, no autódromo Termas de Río Hondo, na Argentina. O piloto argentino somou os 55 pontos possíveis após a obtenção de uma pole position e de duas vitórias, o que lhe permitiu abrir uma vantagem maior ainda sobre seus dois companheiros de equipe, os franceses Yvan Muller e Sébastien Loeb. Agora, Lopez tem 60 pontos de liderança no Campeonato Mundial de Carros de Turismo, o WTCC.
 
López classificou-se imediatamente à frente dos dois companheiros. O argentino largou perfeitamente, diferentemente dos dois franceses que perderam posição para Norbert Michelisz. As quatro primeiras colocações foram mantidas e, depois de 13 voltas, López fez os cerca de 40 mil espectadores vibrarem com uma segura vitória em casa.
 
\"\"
 
Na segunda prova, López tinha a missão de largar em décimo, já que havia sido o pole position da corrida inicial. Também por causa do que diz o regulamento, Yvan Muller e Sébastien Loeb ocupavam a nona e a oitava posições do grid, respectivamente. Mas, quando foi autorizada a largada, Loeb perdeu três posições, e Muller optou por uma estratégia conservadora. Tudo isso foi benéfico a López, que se viu em sétimo ao fim da primeira volta.
 
Os três pilotos da Citroën começaram a fazer ultrapassagens. Yvan Muller protagonizou grandes momentos em uma disputa com Tom Chilton que durou quase três voltas inteiras. Sébastien Loeb impressionou também e superou Michelisz, mas o preferido da torcida era sem dúvida José-María López, que ultrapassou Rob Huff a cinco voltas do fim e assumiu a liderança da prova. Yvan Muller, terceiro colocado, também foi ao pódio, e Sébastien Loeb obteve a sexta posição.
 
Depois de tudo isso, López celebrou o resultado. “Algumas pessoas podem dizer ser muito previsível começar um discurso agradecendo a todos, mas é assim que me sinto agora. Sem minha família e sem a Citroën eu não estaria aqui. Sinto-me orgulhoso por fazer parte da Citroën Racing e por ter Yvan e Seb como companheiros de equipe”, comemorou. “Minha experiência nessa pista me ajudou muito, mas estava preocupado com as largadas, que são ainda um ponto fraco meu. Ainda bem que tudo foi bem! A segunda prova foi realmente empolgante. O carro ficava cada vez mais rápido e eu consegui chegar à primeira posição. Foi um fim de semana perfeito, e não há lugar onde eu mais desejaria ter um desempenho assim.”
 
\"\"
 
O chefe de equipe da Citroën, Yves Matton, revelou que López se cobrou bastante. “Este fim de semana foi um dos mais emotivos da história da Citroën Racing. Pechito pode não ter aparentado, mas estava sob enorme pressão, pois estava desesperado por um bom desempenho em casa. Mas ele se tornou o primeiro piloto neste ano a ter obtido pontuação máxima”.
 
Yvan Muller admitiu superioridade de López em Termas de Río Hondo. “Uma vez que percebi isso, tinha de minimizar o dano e tentar fazer com que ele não abrisse muita vantagem no Mundial. E a equipe fez um trabalho brilhante, pude tirar o máximo do carro”, afirmou. De acordo com Loeb, ele não teve um fim de semana ideal, mas se contentou com as manobras de ultrapassagem. “Já me considero fora da luta pelo título”, admitiu, já que está quase cem pontos atrás de López, faltando quatro etapas (todas com rodada dupla) para o final da temporada. 
 
Corrida 1
1º José-María López (Citroën C-Elysée WTCC) 
2º Norbert Michelisz (Honda Civic WTCC)
3º Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC) 
4º Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
5º Tiago Monteiro (Honda Civic WTCC) 
Volta mais rápida: José-María López (1:46.456)
 
Corrida 2
1º José-María López (Citroën C-Elysée WTCC)
2º Rob Huff (Lada Granta 1.6T)
3º Yvan Muller (Citroën C-Elysée WTCC)
4º Gabriele Tarquini (Honda Civic WTCC)
5º Tiago Monteiro (Honda Civic WTCC)
6º Sébastien Loeb (Citroën C-Elysée WTCC)
Volta mais rápida: José-María López (1:45.926)
 
Mundial de Pilotos
1º José-María López, 310 pontos
2º Yvan Muller, 250 pontos
3º Sébastien Loeb, 213 pontos
4º Tiago Monteiro, 146 pontos
5º Gabriele Tarquini, 121 pontos
Mundial de Construtores
1º Citroën Total, 686 pontos
2º Honda, 454 pontos
3º Lada, 247 pontos
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Fórmula E: Di Grassi: “Somente com inovação e tecnologia alcançaremos um futuro com zero carbono”

Lucas Di Grassi, piloto da ABB FIA Fórmula E, tem um grande compromisso com o futuro do pl…