Quando a Kawasaki concebeu a Ninja H2, o conceito do desenvolvimento era oferecer uma aceleração que nenhum piloto jamais houvesse experimentado. Criar uma motocicleta divertida de pilotar era uma das diretrizes da Kawasaki.
No coração da Ninja H2 pulsa um motor com supercharger que chega a 200 PS de potência que, aliado ao projeto de um motor compacto, se equipara a outros motores vistos em modelos de 1000 cm3 em motocicletas superesportivas. O ponto chave para alcançar este incrível rendimento  concentra-se no sistema de alimentação impulsionado pelo supercharger – um conjunto projetado especificamente para a motocicleta, concebido totalmente em casa com tecnologias incorporadas pela Gas Turbine & Machinery Company, Aerospace Company e também da Corporate Technology Division. 
O know-how tecnológico compartilhado com outras empresas do grupo Kawasaki se encontra em todas as partes deste inovador motor e de seu chassi. Por exemplo, o formato aerodinâmico dos suportes dos espelhos retrovisores, que agregam estabilidade para a condução em alta velocidade, foram projetadas com o apoio do braço aeroespacial da Kawasaki, e este é apenas um dentre muitos exemplos. A colaboração entre os grupos e o nível de tecnologia alcançado resultaram neste modelo inovador, razão pela qual a Ninja H2 recebe a marca Kawasaki River* exibida em destaque na carenagem frontal.
 
 
Ao trabalhar no nome do modelo, aplicar a palavra Ninja – sinônomo de Kawasaki e utilizada em inúmeros modelos lendários através dos anos – foi uma opção óbvia. Mas, também recebe este nome em homenagem a outro modelo que marcou época: a H2, também conhecida como 750SS Mach IV. Impulsionada por um motor 2 Tempos de três cilindros e 748 cm3, possuía uma aceleração intensa que rapidamente a tornou sensação mundial. Para um modelo que entrega dirigibilidade de modelos supersport com aceleração que nenhum piloto tenha experimentado antes, não havia como pensar em um nome mais apropriado e digno de tais características. 
De modo a oferecer uma aceleração intensa e velocidade máxima em uma faixa nunca experimentada antes, era essencial que o motor fosse capaz de produzir alto nível de potência. Ao passo que o aumento da cilindrada poderia facilmente trazer mais potência ao modelo, também era desejo da marca construir um motor compacto de baixo peso. Com a utilização de um supercharger ambas as condições seriam atendidas: a Ninja H2 tem potência de 200 cv e o tamanho do motor compatível com outras motocicletas de 1000 cm3 do mercado.
 
O supercharger altamente eficiente e exclusivo feito para a motocicleta foi a chave para atingir a máxima potência com a intensa aceleração que os engenheiros queriam proporcionar. Compacto, o motor é resultado da fusão de tecnologias do grupo Kawasaki. 
À medida que a velocidade aumenta, a resistência do vento aumenta exponencialmente. Para conseguir um bom funcionamento em alta velocidade, uma combinação de alta potência e aerodinâmica foi necessária. Com os requisitos de potência ficando a cargo do motor com supercharger, o próximo passo foi desenhar carenagens que minimizassem o arrasto e ajudassem no controle da condução em alta velocidade. Entra aí a preciosa ajuda da Kawasaki Aeroespace Company, criando formas esculpidas aerodinamicamente, garantindo a máxima eficiência aerodinâmica. 
Preço público sugerido: R$ 120 mil ( sem frete e sem seguro)
Disponível para pedidos: Abril/2015
Previsão de entrega: Junho/2015 
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Mercedes-Benz do Brasil é premiada por iniciativas de diversidade

Seguindo estratégia global da Daimler, Companhia valoriza as diferenças e fortalece a cult…