O veículo a ser usado na série, um E-SUV denominado ODYSSEY 21, está na vanguarda da inovação para veículos elétricos.

Lewis Hamilton, seis vezes campeão mundial de Fórmula 1, anunciou a criação de sua própria equipe de corrida, a X44, que fará sua estreia no Extreme E, a revolucionária categoria de carros elétricos off-road. Com o nome do número que o próprio Lewis usa em seu carro de F1, o X44 entrará na primeira temporada do Extreme E, cujo primeiro X-Prix está agendado para o início de 2021.

Como fundador da equipe, Hamilton não estará ao volante nem participará do dia-a-dia da organização, mas colocará em prática todo o conhecimento adquirido em sua carreira no automobilismo para ajudar a orientar a criação de uma equipe dedicada e competitiva.

A X44 e seus rivais no Extreme E vão competir com SUVs elétricos em cinco locais remotos do planeta: ártico, deserto, floresta amazônica, geleira e costa. São regiões já danificadas ou seriamente ameaçadas pelas mudanças climáticas devido a uma série de problemas ambientais, como o derretimento das calotas polares, o desmatamento, a desertificação e a elevação do nível do mar.

Lewis Hamilton, fundador da X44, disse: “Extreme E é uma nova e empolgante iniciativa de sustentabilidade e esta é uma grande oportunidade de estar envolvido desde o início como fundador da equipe. Devido às minhas ambições e compromissos com a Mercedes na Fórmula 1, não estarei envolvido operacionalmente na X44, mas estou animado para desempenhar um papel diferente nesta nova categoria, que contribui com minha visão para viver em um mundo mais sustentável e igualitário.

Além de conscientizar sobre as questões climáticas, a categoria estabeleceu um Programa de Legado que envolve o trabalho em conjunto com as comunidades los lugares por onde visitará, com o objetivo de criar um impacto positivo em sintonia com as necessidades de cada região. Supervisionado por um Comitê Científico independente formado por importantes especialistas em clima das Universidades de Oxford e Cambridge, o Extreme E fornecerá um modelo de como as corridas e a indústria esportiva em geral podem ter um impacto positivo no planeta.

Para minimizar o impacto ambiental, as corridas não serão abertas ao público, mas os torcedores acompanharão a ação por meio de transmissão ao vivo na televisão e nas redes sociais. O centro de comando da série ficará a bordo do RMS St. Helena, um navio que está sendo reformado para minimizar as emissões e funcionar como base de operações, logística, hospedagem e garagem do campeonato.

O veículo elétrico que a X44 terá, assim como o de todos os outros concorrentes, está na vanguarda da inovação em eletromobilidade. Por meio deles, a Extreme E espera desenvolver uma tecnologia aplicável no uso diário, abrindo caminho para um futuro com menores emissões de carbono.

A X44 oferecerá oportunidades para a próxima geração de pilotos, engenheiros e técnicos e estará dedicada ao desenvolvimento de grandes talentos a nível mundial, proporcionando uma cultura inclusiva e promovendo a diversidade. A equipe que irá aos eventos será formada por sete pessoas, entre as quais uma piloto profissional feminina e um piloto masculino.

O veículo a ser usado na série, um E-SUV denominado ODYSSEY 21, está na vanguarda da inovação para veículos elétricos. Fabricado pela Spark Racing Technology, pode ir de 0 a 100 km/h em 4,5 segundos, com inclinações de até 130 por cento. Com uma bateria produzida pela Williams Advanced Engineering, ela engloba uma estrutura tubular de liga de aço reforçada com nióbio, e seus pneus especialmente projetados e fabricados pela Continental Tyres são os mais extremos que a empresa já produziu.

Extreme E utiliza sua plataforma esportiva com o objetivo de promover a eletrificação, sustentabilidade e igualdade. O objetivo da categoria é destacar o impacto da mudança climática em alguns dos ambientes mais remotos do mundo, promover a adoção de veículos elétricos para preparar o caminho para um futuro com menos carbono e fornecer a primeira plataforma de igualdade de gênero no automobilismo.

X44 junta-se a uma lista de equipes e pilotos já anunciados, incluindo Chip Ganassi Racing, Andretti United (EUA), Abt e HWA (Alemanha), Techeetah (Indonésia), QEV Technologies (Espanha) e Veloce Racing (Grã-Bretanha).

Fonte: Extreme E
Fotos: Divulgação

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Mercedes-Benz do Brasil é premiada por iniciativas de diversidade

Seguindo estratégia global da Daimler, Companhia valoriza as diferenças e fortalece a cult…