A segurança é o item número um na lista de preocupações de quem dirige. Tendo isso em mente, o Movimento Maio Amarelo tem o intuito de conscientizar a população sobre a segurança viária e a ANIP (Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos) é uma das entidades apoiadoras da iniciativa. O slogan deste ano é “Minha escolha faz a diferença” e a mobilização ocorre em todos os estados do Brasil e em mais 25 países dos cinco continentes.
Além da tomada consciente de decisões no trânsito, o motorista deve ficar atento a várias medidas que contribuem para evitar acidentes no dia-a-dia. Entre os elementos que compõem a segurança de um veículo, os pneus são um dos mais importantes. Único ponto de contato com o solo, exerce um papel fundamental e a sua manutenção é essencial para garantir a segurança nas ruas e estradas. Portanto, deixá-los em boas condições é uma responsabilidade de todos.
Para contribuir com a divulgação das boas práticas de segurança no trânsito, a ANIP elencou uma série de dicas e informações para tornar a sua viagem mais segura. Veja abaixo.
Não circule com pneus carecas: o “Tread Wear Indicator” (TWI) é uma saliência de borracha com altura de 1,6 mm que está localizada dentro do sulco do pneu. Quando o desgaste do pneu atinge esse indicador, significa que já está no limite de segurança e é hora de trocá-lo.

Não esqueça do estepe: o estepe é tão importante quanto os pneus que estão sendo utilizados e deve estar sempre em boas condições para uma eventual troca.
Calibre seus pneus: os pneus devem ser calibrados semanalmente quando estiverem “frios” de acordo indicações que constam no manual do fabricante de seu veículo. A baixa pressão é especialmente nociva, pois torna a direção pesada, aumenta o consumo de combustível e o desgaste dos pneus. A pressão acima do determinado reduz a aderência do pneu, comprometendo a segurança.

Balanceamento e alinhamento: o controle do balanceamento dos pneus e o alinhamento das rodas do veículo devem ser realizados a cada 10 mil quilômetros rodados, quando surgirem vibrações, na troca ou no conserto do pneu, quando o veículo sofrer impactos na suspensão, quando apresentar desgastes irregulares, quando forem substituídos componentes da suspensão ou quando o veículo estiver puxando para um lado.
Chuva forte? Reduza a velocidade: a atenção deve ser redobrada em dias de chuva. A aquaplanagem pode causar a perda do controle do veículo, principalmente se os pneus estiverem carecas. Em caso de chuvas fortes, reduza a velocidade.

Faça o rodízio de pneus: o rodízio compensa a diferença de desgaste dos pneus, além de trazer mais estabilidade e eficiência. No caso de pneus diagonais de passeio, o rodízio deve ser feito a cada 5.000 quilômetros rodados. Já para os pneus radiais de passeio, deve ser realizado a cada 8.000 quilômetros.

Evite o contato com solventes e derivados de petróleo: estes produtos podem contaminar a borracha dos pneus e reduzir a sua vida útil. Portanto, não estacione em solos impregnados com poluentes tais como: graxa, gasolina e óleo diesel.
E quanto aos pneus reformados? Por lei, motocicletas, triciclos e semelhantes, bem como veículos agrícolas não podem usar pneus reformados, nem com quebras, trincas e deformações. Já os carros de passeio, veículos comerciais leves e comerciais podem usar pneus reformados, mas atenção na hora da compra. Todos devem ter o Selo de Identificação de Conformidade do Inmetro, que comprova a sua qualidade e segurança, estampado em alto relevo na lateral. Além disso, outras informações como data da reforma, marca e CNPJ do reformador e tipo de reforma também devem constar no pneu.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Nissan Frontier bate recorde de participação de mercado no Brasil em fevereiro

Picape média teve 11,9% de participação de mercado no segmento A Nissan Frontier segue ace…