Motor com alta quilometragem necessita de óleo mais espesso?
 
Mito – O motor usa o tipo de óleo determinado pelo fabricante e expresso no manual do proprietário, do inicio ao fim da sua vida útil. Não existe qualquer menção no manual que a partir de determinada quilometragem, deve-se usar um outro tipo de óleo mais espesso ou com qualquer outra característica. 
 
Quando o motor apresentar qualquer problema ou sinais de desgaste, deve-se reparar o motor e não trocar o tipo de óleo.
 
– As molas da suspensão não precisam ser trocadas
 
Mito – As molas, como qualquer peça, estão sujeitas a uma fadiga dos materiais de sua constituição. Lembre-se que mesmo com o veículo parado a noite, as molas estão sofrendo a pressão do peso do veículo. É aconselhável que sejam trocadas preventivamente entre 70 e 100 mil quilômetros, garantindo-se assim a máxima estabilidade, conforto e preservação de outras peças.
 
– Rodízio dos pneus ajuda a aumentar sua durabilidade?
 
Verdade – O rodízio dos pneus periodicamente ajuda a aumentar a vida útil dos mesmos, pois é sabido que no eixo de tração, e principalmente quando este é o dianteiro (na grande maioria dos carros da atualidade) os pneus sofrem um desgaste maior, em razão de arranque e frenagem, assim como o esterçar do volante de um lado ao outro.
 
Por isso a cada 5.000 km, substitua os pneus dianteiros pelos traseiros. Além disso, calibragem, alinhamento, balanceamento e forma de condução, ajudam na conservação dos pneus.
 
– Rodas de liga ajudam a economizar combustível?
 
Mito – As rodas de liga emprestam ao veículo uma aparência estética melhor, sem dúvida, porém não podemos dizer que ajudam na economia de combustível, uma vez que seu peso equipara-se aos da roda de aço.
 
Determinados desenhos de roda, por serem mais abertos, permitem uma refrigeração maior do sistema de freio.
 
– O catalisador do carro não precisa ser trocado.
 
Mito- A durabilidade de um catalisador automotivo depende muito das condições de manutenção do veículo. As falhas de ignição, a qualidade do combustível, a queima de óleo afetam diretamente seu funcionamento. Normalmente o catalisador original do veículo zero tem uma vida mínima estimada em 80.000 km, porém além dos problemas acima, acidentes, rachaduras e entupimentos podem indicar a necessidade da troca dessa peça. Consulte sempre um centro automotivo capacitado para avaliar a eficiência do catalisador antes da troca.
 
– Os bicos injetores devem ser trocados e não limpos?
 
Mito- Os bicos injetores, assim como outros itens da injeção eletrônica , necessitam de uma manutenção periódica. A limpeza é necessária sim, em razão das impurezas que estão presentes no combustível e que nem sempre ficam retidas nos filtros. É bem mais barato limpar os bicos injetores de que trocar os mesmos, e o resultado é muito satisfatório. A troca dos bicos deve acontecer quando realmente apresentarem problemas e mau funcionamento.
 
– Ar condicionado gasta mais combustível.
 
Verdade. O uso do ar condicionado requer uma maior potência do motor e, consequentemente, maior consumo de combustível. Uma alternativa que ajuda o motorista a economizar combustível é, quando o carro estiver muito quente, abrir primeiro os vidros para permitir a ventilação do carro, depois usar a ventilação forçada e só então ligar o ar condicionado.
 
– Apoiar o pé na embreagem danifica o carro.
 
Verdade. Esta prática, bastante comum principalmente em motoristas iniciantes, causa um desgaste prematuro na embreagem do veículo, que deve ser acionada apenas na troca de marchas. Uma recomendação é manter o pé “descansando” ao lado do pedal quando a embreagem não for acionada.
 
– Descer a ladeira com o carro engrenado queima a embreagem.
 
Mito. O desgaste causado é o mesmo de quando se anda com o carro em ruas planas. Na verdade, o correto é que o veículo esteja sempre engrenado nas ladeiras (dá-se o nome de freio motor) para que, junto com o sistema de freios, segure o carro em declives.
 
– Desligar o carro em congestionamento economiza gasolina.
 
Verdade. Não só economiza como contribui para a melhoria do ar que respiramos, pois não há emissão de gases poluentes.
 
– Colocar água com o carro quente estraga o radiador.
 
Verdade. O correto é completar a água apenas quando o motor estiver frio, pois existe a possibilidade de um choque térmico, que pode causar sérios problemas ao motor. Não é aconselhável abrir o reservatório de expansão – aquele onde completamos a água – quando o motor estiver quente, pois esse reservatório funciona com pressão e pode causar sérias queimaduras.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Prazo médio para financiamento de autos leves 0km em janeiro ultrapassa 39 meses

Em dezembro de 2018, financiamentos de veículos novos registraram prazo médio foi de 38,8 …