No último final de semana foi realizado, na Espanha, o GP de Aragón da Moto2. Largando em terceiro no grid, o piloto sul-africano Brad Binder usou toda a potência do motor triple de 765 cc da Triumph, já na volta inicial, para chegar à liderança, que manteve durante toda a corrida, a bordo de sua Ajo Red Bull KTM. Ele resistiu à forte pressão para conquistar sua segunda vitória nesta temporada na Moto2, cruzando a linha 0,787s à frente do espanhol Jorge Navarro, da HDR Heidrun Speed Up. Após seu quarto 2º lugar na temporada e três pódios nas últimas quatro corridas, Navarro salta de quarto para segundo na classificação de pontos do campeonato, 38 pontos atrás do líder Alex Marquez (com cinco corridas a serem disputadas ainda). O principal rival ao título, o piloto Augusto Fernandez, caiu na primeira volta, o que significa que Marquez mantém o campeonato sob controle com um terceiro lugar e mais um pódio, o nono da temporada. Junto com suas cinco vitórias, nenhum outro piloto subiu tantas vezes ao pódio nesta temporada.

Luca Marini, da Sky Racing Team VR46, é o piloto mais regular até agora, pontuando em todas as corridas da temporada, exceto uma. Continuando a série de recordes, Alex Marquez também estabeleceu um novo recorde no circuito com sua volta para conquistar a pole position e, pela segunda vez nesta temporada, Remy Gardner estabeleceu um novo recorde de velocidade máxima, a 288,9 km/h, a quinta maior velocidade máxima do ano.

“Aragón nos mostrou mais uma vez o quão emocionante está a temporada de Moto2 da Triumph, com o torque e a potência do nosso motor que encantam os pilotos e proporcionam corridas tão acirradas e imprevisíveis. Nesta fase do campeonato, o pelotão de quatro pilotos perseguindo Alex Marquez está separado por apenas 15 pontos. Binder, recuperando-se de um início lento na temporada, conquistou duas vitórias nas últimas quatro corridas, Navarro conquistou três pódios em quatro corridas e Fernandez teve uma queda que custou caro, e zero ponto em Aragón, enquanto Luthi continua acumulando pontos – está tudo aberto e ainda faltam cinco corridas. Os próximos circuitos são os ‘fly-aways’ na Tailândia, no Japão, na Austrália e na Malásia, e sempre trazem surpresas. Então, ainda há muita abertura para surpresas sobre quem será o primeiro campeão da Moto2 com motores Triumph”, afirmou Steve Sargent, diretor de Produto da Triumph.

O motor de corrida Triumph Moto2 de 765 cc é um desenvolvimento da motocicleta de estrada Street Triple RS 765 cc, líder da sua categoria (e vendida no Brasil), que produz 140 cv de potência. A seguir, na Moto2, será realizado o GP da Tailândia, no dia 6 de outubro.

Artigos Relacionados
Leia mais em Motos
Comentários estão fechados

Veja também

Kia lança programa de recompra garantida

KIA WAY garante 85% da Tabela FIPE na troca do KIA seminovo por um modelo 0 Km da marca A …