No último final de semana foi realizado, na Espanha, o GP de Aragón da Moto2. Largando em terceiro no grid, o piloto sul-africano Brad Binder usou toda a potência do motor triple de 765 cc da Triumph, já na volta inicial, para chegar à liderança, que manteve durante toda a corrida, a bordo de sua Ajo Red Bull KTM. Ele resistiu à forte pressão para conquistar sua segunda vitória nesta temporada na Moto2, cruzando a linha 0,787s à frente do espanhol Jorge Navarro, da HDR Heidrun Speed Up. Após seu quarto 2º lugar na temporada e três pódios nas últimas quatro corridas, Navarro salta de quarto para segundo na classificação de pontos do campeonato, 38 pontos atrás do líder Alex Marquez (com cinco corridas a serem disputadas ainda). O principal rival ao título, o piloto Augusto Fernandez, caiu na primeira volta, o que significa que Marquez mantém o campeonato sob controle com um terceiro lugar e mais um pódio, o nono da temporada. Junto com suas cinco vitórias, nenhum outro piloto subiu tantas vezes ao pódio nesta temporada.

Luca Marini, da Sky Racing Team VR46, é o piloto mais regular até agora, pontuando em todas as corridas da temporada, exceto uma. Continuando a série de recordes, Alex Marquez também estabeleceu um novo recorde no circuito com sua volta para conquistar a pole position e, pela segunda vez nesta temporada, Remy Gardner estabeleceu um novo recorde de velocidade máxima, a 288,9 km/h, a quinta maior velocidade máxima do ano.

“Aragón nos mostrou mais uma vez o quão emocionante está a temporada de Moto2 da Triumph, com o torque e a potência do nosso motor que encantam os pilotos e proporcionam corridas tão acirradas e imprevisíveis. Nesta fase do campeonato, o pelotão de quatro pilotos perseguindo Alex Marquez está separado por apenas 15 pontos. Binder, recuperando-se de um início lento na temporada, conquistou duas vitórias nas últimas quatro corridas, Navarro conquistou três pódios em quatro corridas e Fernandez teve uma queda que custou caro, e zero ponto em Aragón, enquanto Luthi continua acumulando pontos – está tudo aberto e ainda faltam cinco corridas. Os próximos circuitos são os ‘fly-aways’ na Tailândia, no Japão, na Austrália e na Malásia, e sempre trazem surpresas. Então, ainda há muita abertura para surpresas sobre quem será o primeiro campeão da Moto2 com motores Triumph”, afirmou Steve Sargent, diretor de Produto da Triumph.

O motor de corrida Triumph Moto2 de 765 cc é um desenvolvimento da motocicleta de estrada Street Triple RS 765 cc, líder da sua categoria (e vendida no Brasil), que produz 140 cv de potência. A seguir, na Moto2, será realizado o GP da Tailândia, no dia 6 de outubro.

Artigos Relacionados
Leia mais em Motos
Comentários estão fechados

Veja também

Imagens da nova Fiat Strada são reveladas por revistas nacionais

Circularam na tarde de hoje, em aplicativos de mensagens de texto e das duas principais re…