Cada vez mais presente nos veículos, o ar-condicionado também conhecido como filtro de cabine merece atenção dos motoristas na hora de fazer a manutenção automotiva. Para que o sistema funcione adequadamente, impedindo que impurezas entrem no veículo e evitando maus cheiros, alguns cuidados são necessários. “O filtro é muito importante para que o equipamento de ar-condicionado desempenhe seu papel corretamente e fundamental para a saúde dos ocupantes do veículo”, revela João Moura, presidente da Abrafiltros – Associação Brasileira das Empresas de Filtros e seus Sistemas Automotivos e Industriais. A manutenção incorreta pode propagar doenças, como alergias respiratórias, gripes e até pneumonia. Por isso, é preciso que os elementos filtrantes estejam sempre higienizados.
 
Moura explica que por sofrer impregnação de resíduos, provenientes da umidade do ar, fuligem externa e outras partículas poluentes, que trazem microorganismos, o sistema de ar-condicionado é um ambiente propício para criação de fungos e bactérias, quando não realizada a manutenção. Algumas doenças transmissíveis, respiratórias e alérgicas, como sinusite, rinite, asma, resfriado e gripe podem ser consequência da má higienização do ambiente interno do veículo.
 
Há dois tipos de filtros para cabine – com e sem carvão ativado. “Os mais eficientes são os plissados e que possuem o carvão ativado, pois filtram gases, resíduos orgânicos e inorgânicos, além de inibir odores”, esclarece. 
 
Ao falar de manutenção do ar-condicionado automotivo é importante não apenas limpar a caixa do ar-condicionado, mas sim fazer a higienização. “O veículo deve estar limpo, bem como bancos, tapetes e carpetes”, ressalta.
 
Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, os veículos novos não gastam e ou perdem gás do ar-condicionado, a não ser que tenha vazamento na mangueira. “O grande problema da perda de gás são vazamentos, caso contrário não há necessidade de troca”, comenta.
 
Fabricantes recomendam verificar o sistema de ar-condicionado a cada 12 meses ou 15 mil km, o que vencer primeiro. Mas, Moura alerta: “O bom senso é mandatório, caso o carro seja utilizado numa grande concentração de poeira pode ser necessário antecipar a manutenção. O recomendável é seguir as recomendações do fabricante e ficar atento para o caso de odores estranhos ou funcionamento inadequado do ar condicionado”.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Nissan comemora 20 anos de uma história de sucesso no Brasil

Da importação de carros à fabricante nacional de automóveis, marca consolida sua presença …