A fabricante japonesa agilizou o processo de inventário ao utilizar novas tecnologias no Complexo Industrial de Resende

Investindo em novas tecnologias – alinhadas com a Nissan Intelligent Mobility, visão da marca para transformar a maneira como os veículos são conduzidos, impulsionados e integrados na sociedade – a Nissan do Brasil implementou o uso de drones para a elaboração dos inventários do Complexo Industrial de Resende. A novidade reduz consideravelmente o tempo gasto na atividade, além de garantir maior confiabilidade às informações.

A nova tecnologia, implementada pela consultoria e auditoria EY, mapeia os dois pátios da fábrica, que acomodam atualmente cinco modelos da linha de produtos da marca: o Nissan March, Nissan Versa, Nissan Kicks, Nissan Sentra e Nissan Frontier.

O sistema funciona identificando a área dos pátios para a parametrização do voo do drone em toda a extensão necessária. Na sequência, o software e o drone são configurados para realizar a sobreposição de fotos, o que resulta em mais qualidade e quantidade de imagens. Por fim, o equipamento sobrevoa toda a área capturando as imagens e gerando mapas em formato 2D e 3D dos pátios, que são capazes de identificar os diferentes modelos e cores.

O uso da nova tecnologia agilizou o processo de mapeamento, que antes levava cerca de 3 dias para ser realizado, e permitiu que os funcionários antes alocados para essa função desempenhem outras atividades.

“A inserção dos drones para a contagem dos pátios garante maior eficácia e agilidade para a produção do inventário, auxiliando o processo de auditoria externa. Com a novidade, a margem de acerto é de 100%. Antes, a contagem manual exigia muitas checagens para impedir equívocos”, disse Joubert Ferreira, gerente financeiro da Nissan do Brasil e Controler da planta da Resende.

O Complexo Industrial da Nissan em Resende, que completou cinco anos de operação em 2019, já recebeu mais de R$ 2,6 bilhões de investimento e conta com um ciclo completo de produção. As atividades na unidade vão desde a área de estamparia até as pistas de testes, passando pela chaparia, pintura, injeção de plásticos, montagem e inspeção de qualidade, além da fábrica de motores.

Além dos investimentos na área de verificação dos inventários, a unidade do sul-fluminense é pioneira na utilização da tecnologia a favor da sociedade. A fábrica conta com 97 robôs e 167 AGV’s (Automatic Guided Vehicles), veículos guiados automaticamente, responsáveis por otimizar o tempo de produção, facilitando o processo e o transporte dos carros na linha.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Dodge Dart completa 50 anos do lançamento no Brasil

Modelo foi o primeiro automóvel da marca a ser produzido no país “Velocidade. Potência. De…