A marca japonesa passa a utilizar peças de impressão 3D para aumentar a produtividade na linha de montagem

Em linha com a sua visão para transformar a maneira como os veículos são conduzidos, impulsionados e integrados à sociedade – a Nissan Intelligent Mobility – a Nissan do Brasil segue investindo em novas tecnologias para trazer melhorias ao seu processo de produção. No segundo semestre deste ano, o Complexo Industrial da Nissan em Resende passou a utilizar impressora 3D para produzir peças com o objetivo de aumentar a produtividade e trazer mais segurança e economia à linha de montagem da marca no Sul Fluminense.

“Estamos atentos às novas tecnologias disponíveis no mercado e temos trabalhado para trazer cada vez mais equipamentos que contribuam com a modernização dos nossos processos, além de darem mais autonomia às nossas equipes. A impressora 3D, por exemplo, possibilita a customização de peças para as necessidades específicas das áreas”, comentou Marco Biancolini, diretor geral do Complexo Industrial da Nissan em Resende.

Uma das peças, projetada e impressa dentro da fábrica, está sendo utilizada pela área de Montagem na produção do Nissan Kicks. Durante a fixação do motor do SUV na carroceria, ela é posicionada pelo operador entre o motor e a carroceria para que o impacto entre eles não gere nenhuma avaria. Depois que o motor está encaixado, a peça é retirada.

Uma outra peça de impressora 3D em uso na planta é o jig, utilizado na montagem das portas do Nissan March e Versa. Trata-se de uma espécie de gabarito de plástico usado pelo operador para evitar danos na pintura ao instalar a trava na porta dos veículos.

O Complexo Industrial da Nissan em Resende, que completou cinco anos de operação em 2019, já recebeu mais de R$ 2,6 bilhões de investimento e conta com um ciclo completo de produção. As atividades na unidade vão desde a área de estamparia até as pistas de testes, passando pela chaparia, pintura, injeção de plásticos, montagem e inspeção de qualidade, além da fábrica de motores.

Além dos investimentos na área de verificação dos inventários, a unidade do sul-fluminense é pioneira na utilização da tecnologia a favor da sociedade. A fábrica conta com 97 robôs e 167 AGV’s (Automatic Guided Vehicles), veículos guiados automaticamente, responsáveis por otimizar o tempo de produção, facilitando o processo e o transporte dos carros na linha.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Nissan comemora 20 anos de uma história de sucesso no Brasil

Da importação de carros à fabricante nacional de automóveis, marca consolida sua presença …