Home Notícias Nissan licencia tecnologia de bateria de íon de lítio

Nissan licencia tecnologia de bateria de íon de lítio

Comentários desativados em Nissan licencia tecnologia de bateria de íon de lítio

Tecnologia avançada ajudará consumidores a usar energia renovável e de baixo custo com mais eficiência

A Nissan licenciou uma avançada tecnologia para a APB Corporation, que permitirá a produção em massa de baterias de íon de lítio mais baratas e seguras e com maior capacidade de carga.

Apoiada pelo investimento de grandes empresas, a APB de Tóquio planeja construir uma fábrica no Japão que usará a tecnologia da Nissan para fabricar baterias totalmente de polímero para armazenamento.

Diz-se que as baterias totalmente de polímero são a próxima geração de baterias de íon-lítio. A tecnologia da Nissan, conhecida como tecnologia de bateria de polímero com estrutura bipolar, ajudará consumidores e comunidades a usar com mais eficiência energia de baixo custo ou renovável por um investimento inicial mais baixo.

“Acreditamos que a ampla adoção dessa tecnologia contribuirá para o cumprimento das metas de desenvolvimento sustentável da ONU e ajudará a realizar uma sociedade sustentável de baixo carbono”, disse Hideki Kimata, vice-presidente da divisão de estratégia corporativa e desenvolvimento de negócios da Nissan.

A Nissan começou a pesquisar e desenvolver baterias de íons de lítio no início dos anos 1990. Em 1997, a Nissan lançou o modelo Prairie Joy EV e se tornou pioneira na instalação de baterias de íons de lítio em carros elétricos comerciais. Desde então, a Nissan continuou pesquisando as principais tecnologias e buscando a inovação no campo das baterias de veículos elétricos.

Tecnologia de bateria de polímero de estrutura bipolar: visão geral

Em uma bateria totalmente de polímero com uma estrutura bipolar, o eletrólito líquido e os eletrodos de metal usados nas baterias convencionais são substituídos por polímeros. A parte frontal e traseira da célula da bateria são feitas de um coletor de corrente de polímero. A parte frontal e traseira possuem polaridade negativa ou positiva e fazem parte do estojo da bateria. Empilhando várias dessas células, uma bateria montada com uma estrutura bipolar é criada.

A tecnologia aumenta a capacidade de carga em relação ao volume da bateria, além de aumentar a segurança, substituindo eletrólitos líquidos por polímeros. A estrutura simplificada também reduz os custos.

Aplicação em baterias estacionárias

O uso convencional de baterias estacionárias com essa tecnologia ajudará clientes individuais a fazer uso efetivo de eletricidade de baixo custo, como a energia renovável de painéis solares ou eletricidade comprada da rede fora do horário de pico, com um investimento inicial menor.

Como resultado, as comunidades locais podem limitar o uso de eletricidade nos horários de pico e usar a energia de maneira mais estável e eficiente. Isso reduz o risco de blecautes devido a desastres ou falhas técnicas e pode contribuir para um fornecimento de energia mais seguro e limpo.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

GM empresta cilindros de oxigênio e faz doações no combate à covid-19

Empresa realiza novas doações de máscaras e cestas básicas e coloca insumos à disposição d…