Entrevista com Mario Rodrigues, diretor da Unidade de Produção da Volkswagen Anchieta.

A produção do VW Nivus seguiu o cronograma pré-estabelecido com a dedicação e comprometimento da área produtiva da fábrica Anchieta, em São Bernardo do Campo/SP, mesmo com o cenário da pandemia do novo coronavírus. Todos os protocolos de saúde e higiene foram seguidos rigorosamente e o VW Nivus foi o único lançamento do Grupo VW durante este período. Os diferenciais, as alterações na Anchieta e como este projeto ganhou vida do ponto de vista produtivo, você confere nesta entrevista:

Com o cenário de pandemia do novo coronavírus, como a Volkwagen conseguiu manter o cronograma de lançamento do Nivus no Brasil?

Demos início à produção no dia 8 de junho, data prevista desde o começo do projeto. Isso foi possível, porque o cronograma estava adiantado em relação ao planejamento que havíamos estipulado.

Destaco o comprometimento das equipes em seguir o cronograma e manter o lançamento em meio à pandemia, pois mesmo durante a suspensão de atividades, um grupo de empregados permaneceu na fábrica focado no projeto Nivus – respeitando os novos protocolos de higiene e saúde – para cumprir o programa pré-estabelecido de fabricação de carros para os eventos de lançamento.

Planejamos cuidadosamente o retorno de nossos empregados às atividades na Anchieta, com a adoção de medidas de higiene e saúde para todos, com base no que já havia sido adotado na China e Europa. Foram e continuam sendo colocadas em práticas mais de 80 iniciativas. Trabalhamos fortemente na conscientização e boas práticas junto aos nossos empregados, utilizando todos os nossos canais de comunicação. Na linha de produção, por exemplo, quando o distanciamento social de 1,5 metro não é possível devido à posição do posto de trabalho, além das máscaras de tecido, também distribuímos máscaras com visor transparente.

Por que a VW Anchieta foi escolhida para fabricar o Nivus? Houve mudanças na linha de produção para receber o modelo?

A fábrica da Anchieta já produz o VW Polo e VW Virtus em sua Estratégia Modular MQB – um dos mais modernos conceitos para produção de veículos – e o Nivus também utiliza esta mesma matriz. Investimentos que estavam contemplados no ciclo de R$ 7 bilhões já anunciados, permitiu novas instalações como na área de Armação. Adquirimos 419 novos equipamentos, sendo que destes 90 são robôs; parte deles contam com a nova tecnologia de ponta VASS6, alinhada com a indústria 4.0, que permite maior precisão e mais segurança; e ampliação de mais de 24 mil m2 de área, totalizando cerca de 105 mil m2.

Que outras instalações da fábrica sofreram alterações?

Promovemos uma grande modernização na Estamparia, ao instalarmos a nova prensa PXL “Extra Large” capaz de ampliar a produção de peças em até quatro vezes por minuto e, assim, diminuir custos. Reduzimos também emissões de CO2, o que nos impulsiona na rota global de redução nos impactos ambientais, o programa Go to Zero. O Nivus foi um ”acelerador” neste projeto, pois com a atuação da PXL conseguimos otimizar os custos do novo modelo também.

Qual foi o grande diferencial do Nivus no que diz respeito à produção?

Sem dúvida alguma foi ter o desenvolvimento do produto de forma 100% digital. Quebramos um paradigma de que é necessário fazer muitos protótipos físicos para desenvolver um veículo. Além de diminuir o tempo do projeto, ao realizar testes e validações virtualmente, tornamos os processos mais eficazes e com significativa redução de custos.

O trabalho conjunto dos times de Design e Produção, desde o início do projeto, permitiu que algumas adaptações fossem realizadas para atender às necessidades da linha de produção, tudo isso de forma virtual, sem prejuízo ao desenho planejado para o modelo. Durante a concepção do VW Nivus, foi possível ingressar em postos de trabalho que ainda não existiam fisicamente, andar pelo ambiente, segurar e montar peças além de operar dispositivos de maneira virtual. O planejamento virtual, antes da implementação física, permitiu avaliar previamente interferências dentro do processo produtivo, a ergonomia dos postos de trabalho, definir a melhor acessibilidade e disposição de equipamentos entre outros aspectos. Isso é feito utilizando óculos de realidade virtual, roupa e luvas capazes de digitalizarem o movimento do homem para dentro do ambiente virtual e um projetor tridimensional que permite a várias pessoas ao mesmo tempo avaliar o processo em um ambiente 3D.

O Nivus é o primeiro carro desenvolvido no Brasil que será produzido e comercializado na Europa. Como está sendo esta transferência de conhecimento entre as fábricas da Anchieta e Pamplona, na Espanha, onde o Nivus será produzido também?

Desde o lançamento do Polo, temos relação muito próxima com os colegas da fábrica de Pamplona o que facilita a troca de informação sobre os produtos. Cerca de 30 pessoas do time da Espanha estão envolvidas no projeto e parte delas tem visitado as instalações no Brasil para conhecer de perto o desenvolvimento do Nivus como experiência para fabricação na Europa, além de reuniões quinzenais pré-estabelecidas entre os times.

Outro fator muito importante é que pelo Nivus ter sido concebido na América do Sul sob a plataforma MQB A0, a produção mantém os padrões globais de construção, tecnologia e segurança da marca Volkswagen.

O programa de produção contava com o sucesso que seria a pré-venda do Nivus?

Estávamos otimistas, mas ficamos surpresos com o enorme sucesso da pré-venda do Nivus. Como o projeto estava maduro e cerca de três semanas à frente do cronograma, estamos conseguindo atender a demanda dos clientes pelo novo modelo.

Como foi o treinamento da equipe para garantir a produção exemplar do Nivus?

Foram quase sete mil horas de qualificação da equipe que está atuando na produção do Nivus. Estamparia (220 horas), Armação (1.477 horas), Pintura (1.207 horas) e Montagem Final (3.638 horas).

Qual é o sentimento dos empregados da linha de produção em poder atuar num projeto tão relevante para a marca no Brasil?

Todos nós estamos muito orgulhosos em poder contribuir com este novo modelo. Aqui, na Anchieta, cada veículo que sai da produção nos traz muita satisfação, pois sabemos o quanto ele é importante para a VW na região América do Sul. Temos uma equipe extremamente qualificada e dedicada em cada um dos postos de trabalho garantindo que toda a produção tenha a mais alta qualidade, característica imprescindível dos veículos da marca Volkswagen.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Mercedes-Benz inaugura a primeira fábrica 4.0 de chassis de ônibus do Brasil

Com investimento de mais de R$ 100 milhões, nova linha de produção de chassis de ônibus é …