Um design mais afilado, mais eficiência e uma linha abrangente de equipamentos de fábrica. Estas são as principais características do novo Porsche Cayenne. O mais esportivo dos SUVs acomoda até cinco passageiros, possui uma grande quantidade de equipamentos, acabamento de luxo e oferece muito espaço. E, claro, proporciona enorme prazer ao dirigir, com alto desempenho e o tradicional DNA da Porsche.
 
A nova geração do Cayenne estará disponível no mercado brasileiro no primeiro quadrimestre de 2015, em três versões: Cayenne Turbo, Cayenne S e o lançamento mundial, o Cayenne S E-Hybrid(2), o primeiro híbrido de tomada na categoria de SUVs de luxo – este último será vendido no País somente por encomenda. Esta versão, juntamente com o Panamera S E-Hybrid e o 918 Spyder, fazem com que a Porsche seja o único fabricante de carros do mundo a oferecer três modelos híbridos de tomada. O Cayenne Turbo será uma das atrações no estande da Porsche no Salão do Automóvel de São Paulo, que estará aberto ao público de 30 de outubro a 9 de novembro.
 
Todas as versões de motor do Cayenne demonstram um aperfeiçoamento nos dados de desempenho, bem como uma melhor economia de combustível em relação às versões comparáveis anteriores. O motor V6 biturbo de 3,6 litros do Cayenne S é novo e foi completamente desenvolvido pela Porsche.
 
\"\"
 
O Cayenne é uma história de sucesso única na Porsche. A empresa apresentou a primeira geração em 2002. Este veículo transformou em realidade a ideia de um carro esportivo no segmento de SUVs e determinou os padrões de referência desde o início. As vendas ultrapassaram todas as expectativas: mais de 276.000 veículos da primeira geração foram fabricados (2002 a 2010) e cerca de 303.000 unidades da segunda geração, lançada em 2010, já foram fabricadas até agora. Assim, o Cayenne não apenas impulsiona o crescimento lucrativo na Porsche como também está criando uma sólida fundação econômica para os investimentos nas gerações futuras dos carros esportivos.
 
Design externo mais afilado
 
Em sua mais recente versão, os projetistas da Porsche deram ao Cayenne um estilo ainda mais afilado, com linhas precisas e beiradas que refletem a luz estrategicamente posicionadas. O estilo da dianteira do veículo, das asas frontais e do capô é completamente novo. As aletas também são novas: a admissão de ar nos lados direito e esquerdo da dianteira do veículo são feitas de maneira eficiente para resfriamento dos intercoolers, além de terem um forte apelo visual.
 
À primeira vista, o novo Cayenne pode ser facilmente reconhecido como sendo um Porsche através de seus faróis de bi-xénon, que vêm de fábrica nos modelos básicos e nos modelos S, com os faróis de dia “suspensos” com LEDs de quatro pontos que são tradicionais da Porsche. O alto padrão de desempenho da versão topo de linha, o Cayenne Turbo, é enfatizado por faróis de LED com o sistema de iluminação dinâmica Porsche (Porsche Dynamic Light System, PDLS) de série.
 
A traseira do novo Cayenne também foi atualizada. A disposição dos faróis traseiros cria um efeito tridimensional e as luzes de freio, assim como os faróis de dia de LED na dianteira, foram projetadas com quatro elementos. O nicho para a placa, a maçaneta do porta-malas e as lanternas estão agora integrados de maneira mais elegante na tampa do porta-malas. Os projetistas também redesenharam as linhas horizontais do carro, dando ao veículo um posicionamento ainda mais pleno nas estradas. Os canos de escapamento completamente redesenhados foram integrados na parte inferior da traseira. A abertura do porta-malas por meio de acionamento automático é de série.
 
No interior do veículo, os projetistas dedicaram muitos de seus esforços ao espaço ocupado pelo condutor, que agora conta com um novo volante esportivo multifuncional, com shift paddles (borboletas para troca de marchas localizadas na parte de trás do volante). Seu visual e suas funções se baseiam no volante do 918 Spyder. Os bancos traseiros ficaram ainda mais confortáveis e a ventilação dos assentos traseiros pode ser agora encomendada como opcional.
 
Mais eficiência
 
A potência e o torque foram aumentados, ao mesmo tempo em que a economia de combustível foi melhorada. Para a Porsche, estas não são metas incompatíveis ou contraditórias; elas foram possíveis por meio de diversas modificações individuais em todo o sistema de transmissão. Por exemplo, todas as novas versões do Cayenne consomem uma quantidade significativamente menor de combustível devido à sua função de marcha neutra, à função “auto stop-start plus” ainda mais avançada e à gestão térmica otimizada. Aletas ativas de resfriamento de ar estão sendo usadas pela primeira vez nos modelos do Cayenne. Situadas por trás da abertura de admissão de ar central e controladas por meio da gestão do motor, elas abrem ou fecham de acordo com a situação de direção e necessidades de resfriamento específicas. Assim, elas ajustam o volume de ar disponível para o resfriamento. Quando fechadas, elas melhoram a aerodinâmica, o que reduz a força de arrasto do ar, proporcionando economia de combustível.
 
\"\"
\"\"
 
O Cayenne S E-Hybrid é o primeiro híbrido de tomada do segmento de SUVs de luxo. O avanço técnico é imenso em comparação ao Cayenne S Hybrid anterior. O novo modelo conta com uma bateria de tração de íon de lítio com uma capacidade de energia de 10,9 kWh, o que permite uma autonomia só no modo elétrico de 18 a 36 km, dependendo do estilo de direção e da topografia da rota. A potência do motor elétrico foi mais do que dobrada: de 47,6 cv (34 kW) para 96,3 cv (70 kW). O Cayenne S E-Hybrid anda, em média, 29,4 km/l (79 g/km de CO2). O motor V6 de três litros com supercompressor (337 cv/245 kW) e o motor elétrico (96,3cv/70 kW) geram uma potência combinada do sistema de 421 cv (306 kW) a 5.500 rpm e um torque total de 590 Nm entre 1.250 a 4.000 rpm. Isso permite um desempenho de carro esportivo: zero a 100 km/h em 5,9 segundos e velocidade máxima de 243 km/h. A velocidade máxima usando apenas o motor elétrico é 125 km/h. A bateria de tração pode ser carregada com uma tomada elétrica ou enquanto o carro está sendo dirigido. 
 
A tradição híbrida na Porsche teve início em 1899 com o Lohner Porsche, o primeiro veículo do mundo a contar com um motor elétrico alimentado por bateria juntamente com um motor a combustão, que foi projetado e construído por Ferdinand Porsche. Na atual linha de modelos, o Panamera S E-Hybrid está estabelecendo padrões de referência por todo o mundo por ser o primeiro veículo de tomada da categoria de luxo. O Cayenne S E-Hybrid está transferindo esta tecnologia avançada ao segmento de SUVs de luxo. Uma tecnologia híbrida extraordinariamente potente também já foi implantada em um supercarro esportivo, o 918 Spyder. Este modelo serve como exemplo da transferência de tecnologia do automobilismo para os carros de produção: a forma mais avançada de tecnologia de direção híbrida está atualmente implantada no 919 Hybrid de corrida, e também está sendo estudada para seu uso em veículos de produção.
 
O novo motor V6 biturbo de 3,6 litros do Cayenne S, completamente desenvolvido na Porsche, é outro exemplo de como a redução do tamanho, com uma menor cilindrada e um número menor de cilindros, não compromete os valores essenciais. De acordo com o Novo Ciclo Europeu de Condução (NEDC), com este motor o Cayenne é capaz de percorrer entre 10,5 e 10,2 km/l (223-229 g/km de CO2). Isso representa uma melhora de 1,1 km/l em relação ao motor V8 anterior. O motor V6 biturbo proporciona uma potência máxima de 425 cv (309 kW) a 6.000 rpm, um aumento de 20,2 cv/15 kW. O torque do carro de 550 Nm é disponibilizado entre 1.350 e 4.500 rpm (aumento de 50 Nm). A relação peso-potência aumentou de 84,1 cv (61 kW) por litro de cilindrada para 118 cv/l (86 kW), um aumento de aproximadamente 40%. Com sua transmissão Tiptronic S de oito marchas, o Cayenne S acelera de 0 a 100 km/h em apenas 5,5 segundos (5,4 segundos com o pacote Sport Chrono opcional), 0,4 segundos mais rápido que o Cayenne S anterior. A velocidade máxima é agora 259 km/h (aumento de 1 km/h).
 
\"\"
 
O Cayenne Turbo é caracterizado por um alto nível de desempenho, uma propulsão ininterrupta e a capacidade de lidar com qualquer situação de direção. São 4,8 litros de cilindrada, 8 cilindros e uma potência de 527 cv (382 kW) a 6.000 rpm, com torque de 750 Nm disponibilizado entre 2.250 a 4.000 rpm. Isso permite que o Cayenne Turbo acelere de 0 a 100 km/h em apenas 4,5 segundos (4,4 segundos com o pacote Sport Chrono opcional). Sua velocidade máxima é 279 km/h. O Cayenne Turbo tem consumo médio entre 8,9 e 8,7 km/l (261 a 267 g/km de CO2).
 
A afinação do chassi do novo Cayenne oferece ainda mais conforto, naturalmente e sem comprometer seu ritmo dinâmico. Isso faz com que distância entre o conforto e a esportividade fique ainda maior que antes, e valida a reivindicação de que o Cayenne é realmente o carro esportivo no segmento de SUVs.
 
O preço final dos novos Porsche Cayenne no Brasil será anunciado por ocasião do lançamento, em 2015.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

 

 
Um design mais afilado, mais eficiência e uma linha abrangente de equipamentos de fábrica. Estas são as principais características do novo Porsche Cayenne. O mais esportivo dos SUVs acomoda até cinco passageiros, possui uma grande quantidade de equipamentos, acabamento de luxo e oferece muito espaço. E, claro, proporciona enorme prazer ao dirigir, com alto desempenho e o tradicional DNA da Porsche.
 
A nova geração do Cayenne estará disponível no mercado brasileiro no primeiro quadrimestre de 2015, em três versões: Cayenne Turbo, Cayenne S e o lançamento mundial, o Cayenne S E-Hybrid(2), o primeiro híbrido de tomada na categoria de SUVs de luxo – este último será vendido no País somente por encomenda. Esta versão, juntamente com o Panamera S E-Hybrid e o 918 Spyder, fazem com que a Porsche seja o único fabricante de carros do mundo a oferecer três modelos híbridos de tomada. O Cayenne Turbo será uma das atrações no estande da Porsche no Salão do Automóvel de São Paulo, que estará aberto ao público de 30 de outubro a 9 de novembro.
 
Todas as versões de motor do Cayenne demonstram um aperfeiçoamento nos dados de desempenho, bem como uma melhor economia de combustível em relação às versões comparáveis anteriores. O motor V6 biturbo de 3,6 litros do Cayenne S é novo e foi completamente desenvolvido pela Porsche.
 
\"\"
 
O Cayenne é uma história de sucesso única na Porsche. A empresa apresentou a primeira geração em 2002. Este veículo transformou em realidade a ideia de um carro esportivo no segmento de SUVs e determinou os padrões de referência desde o início. As vendas ultrapassaram todas as expectativas: mais de 276.000 veículos da primeira geração foram fabricados (2002 a 2010) e cerca de 303.000 unidades da segunda geração, lançada em 2010, já foram fabricadas até agora. Assim, o Cayenne não apenas impulsiona o crescimento lucrativo na Porsche como também está criando uma sólida fundação econômica para os investimentos nas gerações futuras dos carros esportivos.
 
Design externo mais afilado
 
Em sua mais recente versão, os projetistas da Porsche deram ao Cayenne um estilo ainda mais afilado, com linhas precisas e beiradas que refletem a luz estrategicamente posicionadas. O estilo da dianteira do veículo, das asas frontais e do capô é completamente novo. As aletas também são novas: a admissão de ar nos lados direito e esquerdo da dianteira do veículo são feitas de maneira eficiente para resfriamento dos intercoolers, além de terem um forte apelo visual.
 
À primeira vista, o novo Cayenne pode ser facilmente reconhecido como sendo um Porsche através de seus faróis de bi-xénon, que vêm de fábrica nos modelos básicos e nos modelos S, com os faróis de dia “suspensos” com LEDs de quatro pontos que são tradicionais da Porsche. O alto padrão de desempenho da versão topo de linha, o Cayenne Turbo, é enfatizado por faróis de LED com o sistema de iluminação dinâmica Porsche (Porsche Dynamic Light System, PDLS) de série.
 
A traseira do novo Cayenne também foi atualizada. A disposição dos faróis traseiros cria um efeito tridimensional e as luzes de freio, assim como os faróis de dia de LED na dianteira, foram projetadas com quatro elementos. O nicho para a placa, a maçaneta do porta-malas e as lanternas estão agora integrados de maneira mais elegante na tampa do porta-malas. Os projetistas também redesenharam as linhas horizontais do carro, dando ao veículo um posicionamento ainda mais pleno nas estradas. Os canos de escapamento completamente redesenhados foram integrados na parte inferior da traseira. A abertura do porta-malas por meio de acionamento automático é de série.
 
No interior do veículo, os projetistas dedicaram muitos de seus esforços ao espaço ocupado pelo condutor, que agora conta com um novo volante esportivo multifuncional, com shift paddles (borboletas para troca de marchas localizadas na parte de trás do volante). Seu visual e suas funções se baseiam no volante do 918 Spyder. Os bancos traseiros ficaram ainda mais confortáveis e a ventilação dos assentos traseiros pode ser agora encomendada como opcional.
 
Mais eficiência
 
A potência e o torque foram aumentados, ao mesmo tempo em que a economia de combustível foi melhorada. Para a Porsche, estas não são metas incompatíveis ou contraditórias; elas foram possíveis por meio de diversas modificações individuais em todo o sistema de transmissão. Por exemplo, todas as novas versões do Cayenne consomem uma quantidade significativamente menor de combustível devido à sua função de marcha neutra, à função “auto stop-start plus” ainda mais avançada e à gestão térmica otimizada. Aletas ativas de resfriamento de ar estão sendo usadas pela primeira vez nos modelos do Cayenne. Situadas por trás da abertura de admissão de ar central e controladas por meio da gestão do motor, elas abrem ou fecham de acordo com a situação de direção e necessidades de resfriamento específicas. Assim, elas ajustam o volume de ar disponível para o resfriamento. Quando fechadas, elas melhoram a aerodinâmica, o que reduz a força de arrasto do ar, proporcionando economia de combustível.
 
\"\"
\"\"
 
O Cayenne S E-Hybrid é o primeiro híbrido de tomada do segmento de SUVs de luxo. O avanço técnico é imenso em comparação ao Cayenne S Hybrid anterior. O novo modelo conta com uma bateria de tração de íon de lítio com uma capacidade de energia de 10,9 kWh, o que permite uma autonomia só no modo elétrico de 18 a 36 km, dependendo do estilo de direção e da topografia da rota. A potência do motor elétrico foi mais do que dobrada: de 47,6 cv (34 kW) para 96,3 cv (70 kW). O Cayenne S E-Hybrid anda, em média, 29,4 km/l (79 g/km de CO2). O motor V6 de três litros com supercompressor (337 cv/245 kW) e o motor elétrico (96,3cv/70 kW) geram uma potência combinada do sistema de 421 cv (306 kW) a 5.500 rpm e um torque total de 590 Nm entre 1.250 a 4.000 rpm. Isso permite um desempenho de carro esportivo: zero a 100 km/h em 5,9 segundos e velocidade máxima de 243 km/h. A velocidade máxima usando apenas o motor elétrico é 125 km/h. A bateria de tração pode ser carregada com uma tomada elétrica ou enquanto o carro está sendo dirigido. 
 
A tradição híbrida na Porsche teve início em 1899 com o Lohner Porsche, o primeiro veículo do mundo a contar com um motor elétrico alimentado por bateria juntamente com um motor a combustão, que foi projetado e construído por Ferdinand Porsche. Na atual linha de modelos, o Panamera S E-Hybrid está estabelecendo padrões de referência por todo o mundo por ser o primeiro veículo de tomada da categoria de luxo. O Cayenne S E-Hybrid está transferindo esta tecnologia avançada ao segmento de SUVs de luxo. Uma tecnologia híbrida extraordinariamente potente também já foi implantada em um supercarro esportivo, o 918 Spyder. Este modelo serve como exemplo da transferência de tecnologia do automobilismo para os carros de produção: a forma mais avançada de tecnologia de direção híbrida está atualmente implantada no 919 Hybrid de corrida, e também está sendo estudada para seu uso em veículos de produção.
 
O novo motor V6 biturbo de 3,6 litros do Cayenne S, completamente desenvolvido na Porsche, é outro exemplo de como a redução do tamanho, com uma menor cilindrada e um número menor de cilindros, não compromete os valores essenciais. De acordo com o Novo Ciclo Europeu de Condução (NEDC), com este motor o Cayenne é capaz de percorrer entre 10,5 e 10,2 km/l (223-229 g/km de CO2). Isso representa uma melhora de 1,1 km/l em relação ao motor V8 anterior. O motor V6 biturbo proporciona uma potência máxima de 425 cv (309 kW) a 6.000 rpm, um aumento de 20,2 cv/15 kW. O torque do carro de 550 Nm é disponibilizado entre 1.350 e 4.500 rpm (aumento de 50 Nm). A relação peso-potência aumentou de 84,1 cv (61 kW) por litro de cilindrada para 118 cv/l (86 kW), um aumento de aproximadamente 40%. Com sua transmissão Tiptronic S de oito marchas, o Cayenne S acelera de 0 a 100 km/h em apenas 5,5 segundos (5,4 segundos com o pacote Sport Chrono opcional), 0,4 segundos mais rápido que o Cayenne S anterior. A velocidade máxima é agora 259 km/h (aumento de 1 km/h).
 
\"\"
 
O Cayenne Turbo é caracterizado por um alto nível de desempenho, uma propulsão ininterrupta e a capacidade de lidar com qualquer situação de direção. São 4,8 litros de cilindrada, 8 cilindros e uma potência de 527 cv (382 kW) a 6.000 rpm, com torque de 750 Nm disponibilizado entre 2.250 a 4.000 rpm. Isso permite que o Cayenne Turbo acelere de 0 a 100 km/h em apenas 4,5 segundos (4,4 segundos com o pacote Sport Chrono opcional). Sua velocidade máxima é 279 km/h. O Cayenne Turbo tem consumo médio entre 8,9 e 8,7 km/l (261 a 267 g/km de CO2).
 
A afinação do chassi do novo Cayenne oferece ainda mais conforto, naturalmente e sem comprometer seu ritmo dinâmico. Isso faz com que distância entre o conforto e a esportividade fique ainda maior que antes, e valida a reivindicação de que o Cayenne é realmente o carro esportivo no segmento de SUVs.
 
O preço final dos novos Porsche Cayenne no Brasil será anunciado por ocasião do lançamento, em 2015.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Novo DAF XF ganha cor laranja e amplia opção de customização do modelo

Aurora Orange completa a gama de 13 cores disponíveis para o extrapesado O novo DAF XF, la…