Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

 

 
Entidade que organiza a Fórmula Indy, a IndyCar promoveu uma série de mudanças no regulamento para a temporada 2013, que se inicia no próximo dia 24 com o GP de São Petersburgo e terá no Brasil a disputa da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé em 5 de maio. As mudanças aumentaram o status dos motores na competição, pois impuseram novas penalidades aos pilotos que trocarem de motor antes do tempo.
 
Atualmente, o grid da Indy é dividido entre equipes que utilizam as marcas Honda e Chevrolet. Dado o interesse comum entre os times que usam equipamento de um mesmo fabricante, desde o ano passado as fábricas organizaram o trabalho de desenvolvimento e a distribuição de informações entre seus apadrinhados. Por isso, no novo pacote de regras, regra que mais parece ter impactado a categoria é a que modifica a quilometragem máxima que os motores deverão suportar antes de serem substituídos.
 
Casa propulsor deve suporter um total de 2.000 milhas (aproximadamente 3.218 km), quando poderá ser trocado sem punição – em uma adição de 150 milhas (241 km) em relação ao ano passado. Mudanças de motor que são reprovadas pelos comissários continuarão "castigando" os pilotos com a perda de dez posições na corrida (no caso de a quebra ter acontecido em um teste, a pena será aplicada na etapa seguinte). A exceção é Indianápolis, que possui uma norma particular para isso.
 
\"\"
 
Em outra modificação nas regras, os pontos para cada montadora serão obtidos por pilotos que não ultrapassarem o limite de cinco motores por ano. Na prática: caso um piloto vença uma prova, mas estiver em seu sexto motor, a marca não receberá os pontos correspondentes pela vitória e terá de se conformar com os pontos de seu segundo melhor representante – desde que ele também respeite o limite.
 
"O regulamento de motor foi criado para ajudar na contenção de custos para equipes e montadoras, e ele continuará vigente em 2013. Analisamos uma variedade de opções para substituir esta punição, buscando um retorno dos principais interessados e, após uma consideração cuidadosa e muito debate, acreditamos que a melhor opção foi continuar com a punição de dez posições no grid. Precisamos ser consistentes com esta punição a curto e longo prazo", informou o vice-presidente de tecnologia da Indy, Will Phillips.
 
Além disso, uma série de outras alterações importantes foram determinadas pela organização. Confira a lista:
 
– O pole position deve largar na parte de dentro da pista na largada, e o líder da corrida deve partir na parte de dentro da pista em todas as relargadas em fila dupla. Até 2012, o líder da prova tinha o direito de escolher em que lado relargar.
 
– A seleção dos pits para todos os eventos fora da Indy 500 serão organizados de acordo com o grid de largada da prova anterior. Em 2012, esta seleção era determinada pela classificação anterior em uma pista similar (sendo ela mista, de rua ou oval).
 
– As velocidades no pit lane foram ajustadas levando em conta o tipo da pista. Em ovais, o piloto não poderá ultrapassar 60 milhas por hora (mi/h), ou aproximadamente 100 km/h. Em circuitos mistos ou de rua, o limite é de 50 mi/h (80 km/h).
 
– Em todas as corridas, cada equipe deve informar a quantidade de combustível existente no carro para a largada, além de explicar a estratégia. Em 2012, os tanques deviam ter 18,5 galões (70 litros) no momento da largada.
 
– Para enfatizar a esportividade dentro da pista, se o diretor de prova determinar que um piloto agiu ilegalmente na classificação durante as partes 1 ou 2 da tomada de tempos em pistas de rua, este não poderá participar da sessão final e perderá seus dois melhores tempos. Se isso acontecer durante a fase final, o piloto será proibido de participar do restante da sessão.
 
– O "push-to-pass", também conhecido no Brasil como "botão de ultrapassagem", permanecerá como uma alternativa de estratégia para as corridas mistas e de rua. Dez ativações serão permitidas por corrida, com a duração variando entre 15 e 20 segundos, de acordo com cada pista.
 
– Em 2013, os carros deverão usar na etapa do Texas apêndices aerodinâmicos similares aos empregados nos demais speedways – circuitos ovais de alta velocidade. Os carros terão de carregar a mesma quantidade de pressão aerodinâmica do ano passado.
 
– Na etapa de Iowa, os carros sofrerão uma pequena diminuição na pressão aerodinâmica visando melhorar seu equilíbrio.
 
– Especificações aerodinâmicas para a nova corrida de Pocono serão as mesmas usadas em Indianápolis.
 
– Os números dos carros na traseira e nas lâminas laterais das asas terão uma altura mínima de 20 centímetros, buscando melhorar a visibilidade.
 
– Todos os pilotos precisam utilizar capacetes que correspondam ou superem a especificação de segurança número 8860 de 2010, da FIA.
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Jeep B-Ute é exemplo de parceria com Mopar

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.Conceito funcional mostra como se…