O novo XC90 da Volvo irá oferecer uma combinação imbatível de potência e consciência ecológica quando for lançado mais à frente este ano. O sete lugares de tração integral oferece aos condutores até 400 cavalos de potência mas com emissões de dióxido de carbono de aproximadamente 60 g/km (ciclo de condução NEDC). Nunca antes um SUV ofereceu este nível de potência de uma forma tão ecológica.
 
"Não existem concessões quando se conduz um novo XC90", afirmou Peter Mertens, Vice-presidente sénior de Investigação e Desenvolvimento do Grupo Volvo Car. "No passado, podíamos ter potência ou emissões de CO2 reduzidas. Mas com o novo XC90 é possível ter as duas."
 
O novo XC90 oferece uma gama de opções de motor Drive-E, todas elas com uma fantástica combinação de performance e eficiência no consumo. A principal característica que distingue a gama Drive-E é o facto de serem todos motores de quatro cilindros.
 
\"\"
 
"Com os nossos novos conjuntos propulsores Drive-E, criámos uma família de motores inteligentes a gasolina e diesel com curvas de potência que oferecem uma condução empolgante ao mesmo tempo que garantem uma economia no consumo imbatível à escala mundial", acrescentou Mertens. "Com sete pessoas no novo XC90, as emissões de dióxido de carbono por pessoa e quilómetro são excecionalmente baixas."
 
Tecnologia Bimotor 
 
A Volvo tornou possível a um motor de quatro cilindros garantir todo o prazer de condução associado a um motor de muito maior dimensão, fazendo-o de forma muito mais eficiente e ecológica.
 
No caso do novo XC90, o Bimotor topo de gama irá ostentar a designação T8 e será um automóvel elétrico "plug-in", um automóvel híbrido e um automóvel de alta performance num só.
A condução normal dá-se no modo híbrido standard. Neste caso é utilizado um motor Drive-E a gasolina sobrealimentado e turbocomprimido de dois litros e quatro cilindros que faz mover as rodas dianteiras e um motor elétrico de 80 cv (60 kW) que aciona as rodas traseiras.
 
O sobrealimentador dá resposta nos regimes mais baixos de potência para proporcionar a sensação de uma unidade de grande volume naturalmente aspirada, enquanto o turbocompressor atua quando se avoluma o fluxo de ar. O motor elétrico nas rodas traseiras assegura um binário imediato.
 
Mas ao mero toque num botão, o condutor pode comutar para um modo de condução de cidade apenas a eletricidade, silencioso e isento de emissões, em que disporá de uma autonomia de cerca de 40 quilómetros, e depois, quando necessário, reverter imediatamente para a capacidade combinada do motor a gasolina e motor elétrico, com um débito de cerca de 400 cv e 640 Nm de binário.
 
Gama completa de outras opções de motor 
 
A gama do Volvo XC90 inclui também o motor diesel biturbo D5 de 225 cv e 470 Nm, com o melhor consumo do seu segmento (cerca de 6,0 l/100 km), bem como o motor diesel turbo D4 de 190 cv, 400 Nm e um consumo de aproximadamente 5,0 l/100 km.
 
A gama oferece ainda duas opções de motor a gasolina: o motor turbo T6 com sobrealimentador e turbo, 320 cv e um binário máximo de 400 Nm e o T5 com 254 cv e 350 Nm.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Mercedes-Benz inaugura a primeira fábrica 4.0 de chassis de ônibus do Brasil

Com investimento de mais de R$ 100 milhões, nova linha de produção de chassis de ônibus é …