Moto ganhou pela quarta vez o Selo Maior Valor de Revenda: perdeu apenas 5,6% do preço após um ano de uso. Veja os campeões de cada categoria

A Honda NXR 160 Bros é campeã geral do Selo Maior Valor de Revenda-Motos 2019, certificação feita pela Agência Autoinforme em parceria com a Textofinal de Comunicação. A trail registrou uma perda de apenas 5,6% do seu preço após um ano de uso.

A NXR 160 Bros ganhou o título de moto mais valorizada do Brasil pela quarta vez consecutiva. Desempenho, design, economia de combustível e outros atributos são importantes na hora de comprar uma moto OK, mas o valor de revenda é fator relevante na decisão de compra. Isso porque o consumidor vai quer perder muito na hora da troca. A moto bem valorizada tem a preferência do comprador.

Daí a importância de conhecer o índice de depreciação de cada moto do mercado, informação revelada pelo Estudo de Depreciação feito pela Agência Autoinforme e que define a certificação Maior Valor de Revenda. O Selo Maior Valor de Revenda certificou nesta 4ª edição 17 categorias.

Para Luiz Cipolli Junior, responsável pelo Estudo de Depreciação, a valorização da moto depende de vários fatores: da potência, da marca, da rede de revendedores, do cuidado que a marca tem em relação ao pós-venda, ao segmento, a origem, ao fato de ter grande volume de venda, à sua aceitação no mercado. “Daí a importância do Selo – disse Cipolli – tanto para o consumidor, que tem uma orientação mais precisa na hora da compra, como para as montadoras e importadoras, que podem desenvolver ações que remetam a uma valorização maior dos seus produtos”.

A pesquisa avaliou o comportamento de preços dos 101 modelos zero km mais vendidos, de 12 marcas. Além das marcas que tiveram motos vencedoras desta 4ª edição do Selo Maior Valor de Revenda, foram avaliados modelos das marcas Wuyang, Dafra, Haojue, Kymco e Suzuki.

A Honda foi a marca mais premiada também nesta edição, com vitória em oito categorias. No total, até hoje, a marca levou 25 troféus, sendo quatro como campeã geral. Em segundo lugar vem a Yamaha com 11 certificações em quatro, mas apenas uma vitória este ano, na categoria Naked acima de 800 cc, com um índice de depreciação de 8%.

O Estudo de Depreciação considerou os preços praticados no mercado de motos zero em outubro de 2018 (e não os preços de tabela) e comparou com o preço da mesma moto um ano depois, em outubro de 2019. Considerou também as eventuais diversidades ocorridas no mercado na época da cotação – como disponibilidade do produto, bônus concedidos pelas fábricas e repassados ao consumidor, entre outros fatores – eliminando eventuais distorções de preços provocadas por essas ações.

Veja os ganhadores de 2019

Dezessete motos foram contempladas em suas categorias:

CATEGORIA MARCA MODELO %
50″ SHINERAY PHOENIX 50 14,2
BIG TRAIL ACIMA DE 800cc YAMAHA XT 1200 Z SUPER TÉNÉRÉ 11,5
BIG TRAIL ATÉ 800cc TRIUMPH TIGER 800 13
CLÁSSICA ROYAL ENFIELD BULLET 500 14,9
CROSSOVER HONDA NC 750X 12,2
CUSTOM ACIMA DE 800cc HARLEY DAVIDSON FAT BOB 14,3
CUSTOM ATÉ 800cc KAWASAKI VULCAN S 650 14,7
MOTONETA HONDA BIZ 110i/125i 7,6
NAKED ACIMA DE 800cc YAMAHA MT 09 8
NAKED ATÉ 800cc HONDA CB 650F 8,8
SCOOTER ACIMA DE 200cc HONDA X ADV 745cc 8,2
SCOOTER ATÉ 200cc HONDA PCX 150 8,8
SPORT ATÉ 800cc BMW S 1000 RR 11,7
NAKED ATÉ 800cc HONDA CBR 650F 9,4
SPORT ATÉ 800cc HONDA CG 160 8,5
TOURING HARLEY DAVIDSON STREET GLIDE 14,9
TRAIL HONDA NXR 160 BROS 5,6
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Rompimento da coifa compromete a vida útil da junta homocinética

Rasgos e furos na coifa protetora provocam entrada de resíduos na junta homocinética Peça …