Harry Phillips reencontra o modelo histórico que vendeu há 55 anos e hoje é atração do Museu Henry Ford

Antes de iniciar a venda do Mustang, em 17 de abril de 1964, a Ford enviou modelos de demonstração para todas as suas concessionárias na América do Norte. Alguns eram carros de pré-produção, somente para exibição, que não podiam ser vendidos e teriam de ser devolvidos à fábrica. Entre eles estava o primeiro Mustang produzido na linha de montagem, um conversível branco com número de identificação 5F08F100001, que assim como os demais da série depois seria escrapeado.

Graças ao canadense Harry Phillips, porém, o carro foi preservado e desde os anos 80 faz parte do acervo do Museu Henry Ford, em Dearborn. Phillips, hoje com 84 anos, era vendedor da concessionária Ford em St. John’s, no Canadá, que recebeu o veículo. “Nós o colocamos em exposição no pátio perto da rua, onde todos pudessem ver”, lembra.

Logo um piloto de avião, o Capitão Stanley Tucker, entrou na loja e disse: “Este carro é meu”. “Foi a venda mais fácil que já fiz na vida. Eu só estava parado na porta”, conta Phillips. “Ele pagou o sinal, mas como o carro tinha de continuar exposto, combinamos que só seria entregue algumas semanas depois. Ele vinha na loja todo dia para ver o carro, conversava um pouco e ia embora.”

Demorou alguns meses para a fábrica dar falta do Mustang Nº 001, que ganhou importância com o estrondoso sucesso do carro. “Houve uma falha de comunicação e o número de série não significava nada para nós, não sabíamos que ele era o primeiro. Só descobrimos o valor do carro quando a Ford veio procurar por ele.”

Foram necessários dois anos de negociação até a Ford convencer o Capitão Tucker a abrir mão do veículo, que marcava 16.000 km no hodômetro e foi trocado por outro modelo histórico, o milionésimo Mustang, um conversível 1966 totalmente equipado.

A história do piloto se tornou famosa nos Estados Unidos, mas poucos sabiam da participação de Harry Phillips até sua neta Stephanie Mealey iniciar uma campanha nas redes sociais para homenagear o avô. Ela queria que Phillips fosse levado ao Museu Henry Ford para rever o famoso Mustang, e deu certo.

Phillips foi convidado pela Ford, junto com a filha e a neta, para visitar o museu, receber homenagens e reencontrar o carro que vendeu há 55 anos. “Ele me trouxe muitas memórias. E está exatamente do mesmo jeito que o vi pela última vez, um carro novo”, disse.

O título de primeira compradora do Mustang pertence a Gail Wise, professora de Chicago que adquiriu seu conversível cor azul bebê no dia 15 de abril de 1964, dois dias antes do lançamento.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias

Veja também

Dispositivo Bosch evita choque em caso de acidentes envolvendo veículos elétricos

Microchips controlam pequenas cargas explosivas conectadas às baterias e isolam a fonte de…