Setor de serviços é o único a registrar alta no período: +0,2%

O PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro acumulou R$ 1,71 trilhão entre janeiro e março de 2019, de acordo com informações divulgadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O resultado representa uma alta de 0,5% em relação ao mesmo período de 2018, mas uma queda de 0,2% em relação ao 4º trimestre de 2018.

O mau desempenho reflete a fraqueza da atividade econômica, puxada, principalmente, pelo baixo dinamismo da indústria nacional e do setor agropecuário, que amargaram uma retração de 0,7% e de 0,5% no 1º trimestre de 2019 em relação ao trimestre imediatamente anterior, respectivamente, e justifica a piora das expectativas do mercado.

Por outra ótica, também é possível destacar a contribuição negativa das exportações (-1,9%) e dos investimentos (-1,7%) para o desempenho da economia brasileira. Considerando esse foco de análise, o consumo das famílias (+0,3%) e da administração pública (+0,4%) foram responsáveis por evitar que a contração da economia brasileira fosse ainda maior.

O setor de serviços, por sua vez, conseguiu obter um aumento de 0,2% nos primeiros três meses de 2019, quando comparado ao trimestre anterior, sendo os segmentos de transporte (-0,6%) e de comércio (-0,1%) os únicos a apresentarem contração nas mesmas bases de comparação.

O PIB do transporte foi calculado em R$ 64,86 bilhões no acumulado de janeiro a março de 2019. Esse valor representa um aumento de 0,2% em relação ao mesmo período de 2018, mas, quando se compara o trimestre corrente com o imediatamente anterior, é o terceiro resultado negativo do setor nos últimos quatro trimestres.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Dodge Dart completa 50 anos do lançamento no Brasil

Modelo foi o primeiro automóvel da marca a ser produzido no país “Velocidade. Potência. De…