No Polo Automotivo Fiat, em Betim (MG), a sala de realidade virtual está integrada ao Manufacturing 2020, laboratório criado para testar novas tecnologias da Indústria 4.0.

A cada lançamento, uma revolução também acontece no chão de fábrica com novos processos e tecnologias incorporados às linhas de produção. Para acompanhar essas transformações, nas plantas da Fiat Chrysler Automóveis (FCA), a montagem do carro ocorre, primeiro, no ambiente virtual. Nesses espaços, as ferramentas são os óculos 3D, joysticks e a tela de projeção. O objetivo é criar modelos digitais interativos e imersivos, para testar cada etapa da montagem do carro. Uma linha virtual, idêntica à real, é criada, facilitando a tomada de decisões das equipes multidisciplinares da FCA com foco na qualidade dos processos da manufatura, além da logística e ergonomia dos operadores.

“Entre as inovações da Indústria 4.0 está o conceito do Digital Twin, ou seja, gêmeo digital, onde é possível criar e testar processos antes de serem instalados fisicamente”, explica Fábio Pugliese, especialista de Engenharia de Manufatura da FCA. Um dos softwares utilizado é o IC.IDO, do fornecedor francês ESI. A FCA foi a primeira empresa do setor automotivo no Brasil a utilizar o IC.IDO aplicado à manufatura.

“Com essa solução, é possível mapear todos os movimentos e postura dos operadores na execução das atividades como, por exemplo, a montagem de uma lanterna”, conta Eric Baier, especialista em Simulação Virtual da FCA. Entre as vantagens da ferramenta, destaca-se a simulação colaborativa. Nas salas de realidade virtual, são reunidos profissionais das mais diversas áreas, com a integração da Engenharia de Produto e da Engenharia de Manufatura, para identificação de oportunidades de melhoria, seja diretamente no produto ou no processo produtivo. “No Fiat Cronos, a ferramenta foi utilizada em diversas simulações como, por exemplo, na montagem do painel”, completa Baier.

No Polo Automotivo Fiat, em Betim (MG), a sala de realidade virtual está integrada ao Manufacturing 2020, laboratório criado para testar novas tecnologias da Indústria 4.0, e contou com investimento de cerca de R$ 1 milhão. “Esse valor foi recuperado com oito meses de funcionamento da sala”, afirma Pugliese. Já no Polo Automotivo Jeep, em Goiana (PE), a solução foi aplicada para validação das linhas de produção do Jeep Renegade, Jeep Compass e Fiat Toro.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Volkswagen Jetta ganha versão inédita 250 TSI por R$ 99.990

Com itens de série muito valorizados pelos consumidores do segmento de sedãs médios, model…