Estacionamento rotativo no centro, bicicletas compartilhadas e administração dos terminais de integração e estações de transporte público. Essas são as três áreas aprovadas pelo Conselho Gestor das Parcerias Público Privadas e Concessões para que a  Prefeitura de Teresina faça chamamentos de empresas que possam estudar a viabilidade de implementação dos projetos.
 
De acordo com o presidente do conselho, secretário municipal de Concessões e Parcerias, Erick Amorim, os chamados PMIs (Procedimento de Manifestação de Interesse) são importantes porque permitem observar todos os aspectos referentes à proposta. “Com os estudos em mãos, a Prefeitura poderá definir as melhores propostas”, explica, ressaltando que o Plano Municipal de Parcerias Público Privadas está disponível para consulta pública desde o mês de maio e vem recebendo contribuições. Ao todo, 12 projetos deverão ser trabalhados inicialmente pela Prefeitura de Teresina.
 
Erick informa que, este mês, a Prefeitura de Teresina lança o chamamento para que empresas manifestem o interesse em fazer estudos sobre as vagas de estacionamento rotativo no centro da capital. A situação atual dificulta o acesso das pessoas e vem tornando o trânsito cada vez mais caótico. O objetivo é propor um ordenamento do tráfego, proporcionando principalmente o aumento no número de vagas e permitindo o uso compartilhado do espaço público.
 
O secretário ressalta que Teresina é a única capital do Nordeste que ainda não possui um sistema ordenado de estacionamento rotativo em áreas de grande tráfego. “Com esse estudo em mãos, a Prefeitura decidirá se adota ou não o modelo proposto. Ele deverá prever quais ruas poderão ser utilizadas para estacionamento, a quantidade de horas de permanência dos veículos em cada uma delas e valores que serão cobrados. Esse ordenamento é necessário para harmonizar o tráfego de veículos com a nova proposta de mobilidade urbana que está sendo adotada pela cidade e também com o projeto de revitalização do centro, que está sendo implementado”, afirma.
 
Sobre as bicicletas compartilhadas, ele diz que o sistema já um sucesso nas grandes cidades para ampliar o uso de bicicletas na cidade. A idéia é oferecer aos moradores, turistas e trabalhadores um meio de transporte para que possam se locomover pela cidade a um custo baixo, evitando o uso de carros e sem a necessidade de comprar uma bicicleta. Atualmente, existem cerca de 850 sistemas de compartilhamento de bicicletas no mundo.
 
Outro PMI lançado é para a manutenção dos oito terminais de integração e 61 estações de transbordo que estão sendo construídos para servir ao novo sistema de mobilidade urbana.  O diretor técnico da Secretaria de Concessões e Parcerias, Sérgio Tajra, informa que a Prefeitura está estabeleceu um cronograma para o lançamento das propostas. “Será uma concessão administrativa que vai trazer melhorias para os usuários, como wi-fi grátis, ar condicionado e melhor manutenção dos espaços”, adianta.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Audi apresenta novos A6 e A7 no Brasil

Motor 3.0 TFSI e transmissão S Tronic de sete velocidades equipam os dois modelos A Audi a…