Essa primeira vitória estabeleceu um precedente: um ano depois, 33 dos 49 participantes estavam dirigindo um carro esportivo e de corrida fabricado em Stuttgart-Zuffenhausen

Um total de 19 vitórias na classificação geral, inúmeros sucessos por categoria e emoções incríveis vinculam a Porsche às 24 Horas de Le Mans, o maior e mais tradicional evento de automobilismo do mundo, há mais de seis décadas. Em 14 de junho de 1970, a Porsche alcançou sua primeira vitória na classificação geral com o carro esporte 917 KH de 580 hp. Cinquenta anos depois, no fim de semana de 13 e 14 de junho de 2020, o Porsche Museum apresentará o carro vencedor original em sua exposição.

Desde que a Porsche participou desta clássica corrida de resistência pela primeira vez em 1951 e obteve uma vitória imediata em sua classe com o 356 SL, essa corrida se tornou indispensável para o fabricante de carros esportivos. Mas foi um longo caminho até o primeiro grande triunfo. Até o fim da década de 1960, a Porsche habilmente desempenhava o papel de oprimido e concentrou-se com sucesso nas classes para motores de menor cilindrada. Assim, a Porsche iniciou uma mudança de estratégia no fim dos anos 1960. Em 1969, a Porsche ficou a apenas 75 metros ou um segundo da vitória, no final mais apertado da história de Le Mans. Mas já na fase de preparação para a o ano seguinte muito do que foi aprendido nos anos anteriores foi incorporado: vitória de Hans Herrmann e Richard Attwood no 917 KH, seguidos por Gérard Larrousse e Willy Kauhsen no Martini Porsche 917 LH e Rudi Lins e Helmut Marko no Porsche 908/02. Um triunfo para a Porsche.

Essa primeira vitória estabeleceu um precedente: um ano depois, 33 dos 49 participantes estavam dirigindo um carro esportivo e de corrida fabricado em Stuttgart-Zuffenhausen – um recorde que ainda hoje é mantido. Um Porsche 917 KH também venceu a corrida em 1971. Em 1974, a Porsche anunciou a “era turbo” em Le Mans com o lançamento do 911 Carrera RSR 2.1 Turbo. A Porsche registrou a primeira vitória de um motor turbo na história da corrida com o 936 Spyder em 1976, com o mesmo carro ganhando novamente com a equipe de fábrica em 1977. Uma equipe cliente entrou pela primeira vez na lista de vencedores dois anos depois. O sucesso com o Porsche 935 K3 marcou a primeira vitória de um carro de corrida com motor traseiro em Le Mans – e com um carro de corrida produzido em série baseado no Porsche 911.

Entre 1981 e 1987, os carros de corrida da Porsche permaneceram imbatíveis em Le Mans. A corrida mais longa da história das 24 horas começou com a terceira e última vitória do Porsche 936 Spyder. Em 1982, a equipe de fábrica lançou o novo tipo 956, ocupando todos os três lugares no pódio em sua estréia em Le Mans. O 956 apresentou o primeiro chassi monocoque de alumínio da Porsche e uma aerodinâmica inovadora, que permitiu uma carga aerodinâmica poderosa sem nenhum aumento perceptível no arrasto. No 956 e no seu sucessor, o 962 C, o fabricante de carros esportivos impulsionou o desenvolvimento de sistemas eletrônicos de injeção e ignição, bem como a muito popular transmissão Porsche de dupla embreagem (PDK) da atualidade. A partir de 1983, clientes da Porsche também largaram nos 956 e 962 C. Nove carros Porsche 956 figuraram nos dez primeiros lugares em 1983, seguidos por oito em 1984 e 1985, respectivamente.

A década de 1990 viu quatro vitórias na classificação geral (tanto pela equipe de fábrica quando por equipes clientes da Porsche) em três tipos diferentes de carros de corrida, começando em 1994 com o Porsche 962 Dauer Le Mans GT, desenvolvido em Weissach e baseado no 962 C, seguido pelo TWR Porsche WSC Spyder desenvolvido pela Porsche (com o qual uma equipe cliente venceu em 1996 e 1997). Em 1998, o Porsche 911 GT1 98 foi o primeiro monocoque de fibra de carbono projetado pela Porsche, bem como os primeiros freios de fibra de carbono usados pela equipe de fábrica – e venceu no ano em que a Porsche comemorava o 50º aniversário do recebimento da licença de circulação de seu o primeiro carro esportivo, o 356 “Roadster Número 1 ”.

Após esse sucesso, a Porsche voltou sua atenção no automobilismo para o desenvolvimento de versões de corrida do Porsche 911 e ao apoio às equipes privadas. Em Le Mans, esse compromisso foi recompensado com onze vitórias de classe entre 1999 e 2018. Em 2014, a equipe de fábrica voltou a competir pela vitória na classificação geral. Projetado “do zero” em Weissach, o Porsche 919 Hybrid apresentava soluções técnicas exclusivas. Somente o Porsche gerou energia elétrica para a bateria de alto desempenho, convertendo a energia cinética produzida durante a frenagem e, adicionalmente, por meio de uma unidade geradora de turbina no fluxo de gás de exaustão de um motor turbo V4. O sistema geral que compreendia o motor elétrico e o motor de combustão entregou cerca de 900 hp. Essa solução de vanguarda provou ser um sucesso: de 2015 a 2017, a Porsche marcou um hat trick em Le Mans.

Com 108 vitórias por classe e 19 vitórias na classificação geral, a Porsche é o fabricante de maior sucesso nos quase 100 anos de história de Le Mans. Em 2020, a Porsche continua a tradição única de ter um carro esportivo participando de Le Mans todos os anos desde 1951: nas 24 horas virtuais de Le Mans, a recém-criada equipe Porsche Esports largará em 13 e 14 de junho com quatro carros Porsche 911 RSR (ano modelo 2017). No canal do Twitter @PorscheRaces, informações atualizadas sobre a corrida são compartilhadas. Uma revisão histórica da corrida de 1970 pode ser seguida no fim de semana de aniversário no canal do Twitter @PorscheNewsroom.

Hans Herrmann e Richard Attwood relembram a corrida

Em 1970, depois de exatamente 4.607.811 quilômetros ou 343 voltas, Hans Herrmann e Richard Attwood cruzaram a linha de chegada em primeiro lugar com o Porsche 917 KH de Porsche Salzburg número 23. “Era uma corrida dominada pela chuva e achamos que tínhamos que ficar permanentemente trocando os pneus e se adaptando à situação de momento. Não foi o desgaste que nos forçou a trocar os pneus, mas o clima em constante mudança. O fato de termos nos harmonizado tão bem como equipe nos levou à vitória. Competir em uma corrida de resistência de 24 horas com apenas dois pilotos não é tarefa fácil”, recorda Hans Herrmann.

Muitos dos concorrentes – entre eles vários carros Porsche – abandonaram gradualmente a corrida. “Le Mans é uma corrida em que tudo dá certo ou não. Naqueles dias, as 24 horas eram mais uma prova de resistência do que uma corrida”, lembra Richard Attwood. “Vencer Le Mans com a Porsche e Hans aconteceu de maneira totalmente inesperada, porque nosso carro não tinha a configuração certa para altas velocidades. Hans e eu éramos simplesmente uma equipe dos sonhos. ”

“Trabalhamos no carro em treinamentos até o último minuto”, diz Hans Herrmann. “O 917 começou como um carro de corrida muito difícil. Isso estava nos levando a caminhos errados, até que conseguimos otimizar a aerodinâmica e transformá-lo em um carro vencedor. ” De volta para casa em Stuttgart, a vitória da Porsche foi comemorada com uma carreata pela cidade e pela praça principal. “A vitória ganhou importância ao longo dos anos. Quem pensaria que a Porsche se tornaria o detentor do título recorde nesta corrida?”, diz um satisfeito Richard Attwood. “Eu também não sabia que estava enfrentando outro desafio pessoal: não conseguia comer nada durante a corrida e só podia beber leite para ficar em forma para dirigir. O que eu não sabia era que havia contraído caxumba.”

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Hyundai inicia exportação do Brasil para Argentina

País é o quarto da América do Sul a receber veículos a partir da fábrica de Piracicaba (SP…