Além de conservar a Mata Atlântica, a Jeep contribui para a formação de uma nova geração que reconhece a importância da preservação da biodiversidade local

No Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho), a Jeep comemora os resultados do Programa de Biodiversidade, que completa cinco anos. Com capacidade para produzir 88 mil mudas por ano, o viveiro do Polo Automotivo Jeep, em Goiana (PE), vem transformando a paisagem da Zona da Mata pernambucana. Em 2014, antes mesmo da inauguração da fábrica, as sementes começaram a germinar e, hoje, cerca de 100 mil mudas de 295 diferentes espécies da Mata Atlântica crescem na região. A meta é alcançar até 2024 o plantio de 208 mil mudas, com a criação de 304 hectares de área verde e corredores ecológicos.

“É um dos mais relevantes projetos de recuperação da Mata Atlântica em curso no país. Hoje, o Polo Automotivo Jeep é também uma fábrica de mudas”, afirma a coordenadora do Programa de Biodiversidade Jeep, Danubia Lima. O envolvimento da comunidade é o diferencial. Mateiros são mobilizados para a coleta de sementes e frutos em remanescentes da Mata Atlântica da região, garantindo que a biodiversidade local seja recuperada. José Cícero da Silva, conhecido como Saberé, começa as atividades às 4 horas da manhã. Mais do que coletar sementes e frutos que dão origem às mudas, Saberé é um conhecedor e guardião das matas. “Eu preservo o máximo que posso, como se as plantas fossem minhas filhas”, conta Saberé.

“Em 2014, através da parceria com as universidades federais de Pernambuco (UFPE) e Rural de Pernambuco (UFRPE), foram identificadas 174 espécies nativas no município de Goiana. Hoje, com a ajuda de mateiros como Saberé, esse número saltou para 295, ou seja, temos uma biodiversidade mais rica do que a catalogada em Goiana durante os estudos”, completa Danubia. Os locais para o plantio são escolhidos com cuidado, para a formação de corredores ecológicos capazes de conectar fragmentos florestais e atrair a fauna local. Máquinas fotográficas, utilizadas para monitoramento da fauna, já captaram imagens de tamanduás e jaguatiricas, inclusive com filhotes.

Além de conservar a Mata Atlântica, a Jeep contribui para a formação de uma nova geração que reconhece a importância da preservação da biodiversidade local. Ao receber alunos do 5º ano do Ensino Fundamental de escolas públicas de Goiana, o viveiro transforma-se numa sala de aula a céu aberto. Todos os alunos são convidados a plantarem mudas, que são produzidas no viveiro. De forma prática, com as mãos na terra, aprende-se ecologia, botânica e educação ambiental. Ao longo do projeto, também acontecem oficinas para capacitar professores e supervisores das escolas. Mais de 1,2 mil alunos já participaram do circuito.


ATERRO ZERO

O Polo Automotivo Jeep é a primeira planta do Nordeste a ser Aterro Zero. Desde outubro de 2015, 100% dos resíduos gerados são enviados para reciclagem e reutilização. Todos os resíduos gerados no Polo Automotivo Jeep vão para a Ilha Ecológica, uma área de 3 mil metros quadrados com 82 profissionais, em três turnos de operação. Atualmente, são 29 contratos de destinação de resíduos. A maioria é de empresas da região. O “Aterro Zero” impulsionou no entorno do Polo o desenvolvimento da cadeia da reciclagem, com a criação de oportunidades de novos negócios

Veja o segundo episódio da série “Na Trilha da Transformação”, sobre Biodiversidade. Conheça um pouco sobre Saberé e o Programa de Biodiversidade Jeep: https://youtu.be/OO2fqOvjOcY.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Fiat divulga condições especiais no Dia do Supernegócio

Só neste sábado (19), a Fiat fará um esforço jamais visto para compartilhar preços imbatív…