Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Ação, que ocorre em Santo Antônio do Pinhal (SP), completa a primeira metade de atividades com realização de oficina na Bacia do Rio Preto.

A equipe do projeto Águas da Mantiqueira se reuniu em Santo Antônio do Pinhal (SP) com moradores e representantes da comunidade da bacia do Rio Preto no fim de abril, para apresentar os resultados preliminares e discutir os objetivos do projeto de pesquisa. O diagnóstico para a melhor gestão do recurso hídrico do município norteou a reunião, que contou com a presença de mais de 80 pessoas. Dessa forma, o projeto Águas da Mantiqueira entra na última fase de diagnóstico, reunindo desde 2017 mais de 270 pessoas em cinco comunidades de 10 que serão comtempladas. A pesquisa deve ser encerrada em julho, quando os especialistas terão resultados completos e sugestões de diretrizes para o planejamento territorial do município.

O projeto Águas da Mantiqueira é uma parceria entre a Fundação Toyota do Brasil e a Fundepag (Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa do Agronegócio) com apoio da Prefeitura de Santo Antônio do Pinhal, a fim de promover uma pesquisa sobre a biodiversidade visando a conservação por meio do planejamento territorial e do desenvolvimento socioeconômico de forma sustentável das 10 bacias hidrográficas do município paulista, localizado na Serra da Mantiqueira – cordilheira que é a maior província de água mineral do mundo.

José Roberto Manna, coordenador técnico do projeto pela Fundepag, enfatiza a importância da participação da população nesses encontros. “É fundamental que todos participem. O nosso objetivo é empoderar a comunidade para auxiliar a prefeitura com informações importantes para o desenvolvimento do trabalho diário do município”, explica.

Como resultado, a pesquisa poderá direcionar o planejamento territorial, respeitando as características ecológicas das áreas naturais de Santo Antônio do Pinhal fundamentais para a organização de diretrizes de desenvolvimento socioeconômico que garantam ao mesmo tempo a conservação da biodiversidade local e a continuidade no abastecimento da comunidade e de milhões de pessoas que dependem das águas da Mantiqueira.

A coordenadora de projetos da Fundação Toyota do Brasil, Thais Guedes, lembra ainda que a proposta do projeto não é retirar a população de suas áreas ou impedir suas atividades econômicas. “Se todos puderem fazer melhorias em suas propriedades para a preservação do meio ambiente, teremos uma qualidade de vida melhor para todos. Não se trata de impedir o trabalho de ninguém ou fechar a porta para o turismo, mas indicar como essas atividades podem ser realizadas com menos impacto à natureza. Essa pesquisa vai contribuir para o desenvolvimento da cidade com propostas sustentáveis”, esclarece.

Além de todas as vertentes do diagnóstico, a iniciativa aborda ainda a educação. Os dados contribuem para que as crianças conheçam e valorizem a região onde moram, fortalecendo o senso de pertencimento daquele local.

A Serra da Mantiqueira foi reconhecida em um artigo científico da Revista Science como o 8º ecossistema mais rico em diversidade de espécies no mundo e considerado insubstituível. Florestas, campos naturais e a fauna da maioria das espécies da Mata Atlântica, distribuídas no relevo da cordilheira, permitem a ocorrência de um clima singular e a maior concentração de água mineral em quantidade e qualidade no planeta. Essas características conferem à região uma função essencial para o Sistema Cantareira, em São Paulo, que abastece diariamente mais de 5 milhões de pessoas.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Semjuv lança programa que concede CNH gratuitamente para jovens teresinenses

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.A Secretaria Municipal da Juventu…