A obrigatoriedade do uso diurno do farol baixo, em túneis e rodovias, é dada pela lei 13.290/2016, no entanto veículos equipados com a DRL estão isentos desta exigência.

A DRL, sigla de Daytime Running Lamp (Lanterna de Rodagem Diurna), tem ganhado cada vez mais espaço na indústria automotiva, especialmente após a publicação da Resolução 667 do CONTRAN que, entre outras coisas, determina sua obrigatoriedade para novos projetos de veículos, produzidos a partir de 2021. Para os demais veículos, anteriores a 2021, cabe o disposto pela Lei 13.290/2016 que, basicamente, determina o uso diurno dos faróis baixos em túneis e rodovias. “Os faróis baixos, quando acesos, promovem contraste, ou seja, distinção entre os dois pontos luminosos e o contorno do veículo. Sem este recurso o veículo pode ser confundido com o ambiente, tornando-se pouco perceptível aos observadores e, consequentemente, desencadeando colisões frontais e atropelamentos”, afirma Carlos Moura, Coordenador de P&D da Arteb.

Muitas pessoas, no entanto, se confundem com o tema, não sabendo se devem utilizar o farol baixo mesmo quando o veículo já possui a DRL. O que se deve ter em mente é que tanto o farol baixo quanto a DRL promovem a visibilidade diurna, ambos estão previstos pela legislação vigente, portanto se o veículo já possui a DRL, o uso diurno do farol baixo torna-se dispensável.

Segundo Moura a legislação, em 2016, teve em vista a ampliação da visibilidade diurna e, para isso, levou em consideração o nível tecnológico de toda a frota nacional, ou seja, considerou o dispositivo luminoso que todos os veículos, independentemente do ano de fabricação, possuem: farol baixo. “Mas a tecnologia avançou bastante nos últimos anos e, hoje, muitos veículos nacionais e importados já contam com a DRL, dispositivo luminoso desenvolvido especialmente para a visibilidade diurna dos veículos”, esclarece.

Segundo Moura é recomendável que os motoristas se atentem às informações relativas ao sistema de iluminação do veículo, consultando o manual do proprietário ou os canais de comunicação da fabricante do automóvel. Assim, pode-se confirmar a eventual presença da DRL no veículo. Adicionalmente, o uso da DRL tem algumas vantagens: “Se para o uso diurno do farol baixo é preciso estar atento, para lembrar-se de acioná-lo, com a DRL esse problema inexiste, pois esta lanterna funciona desde a partida e assim permanece até que outras funções, como o próprio farol baixo, sejam acionadas. Além disso, o uso da DRL evita a sobrecarga de uso do farol baixo, que já é necessário à direção noturna. ”, finaliza.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Qualidade da gasolina pode interferir no consumo do automóvel

Queda no preço da gasolina pode fazer com que antigos problemas nas velas de ignição retor…