Num país onde mais de 60% do transporte é feito com caminhões, sobre uma malha rodoviária à espera de melhorias, o setor de reforma de pneus tem uma grande contribuição a oferecer. Ao permitir que um veículo de carga rode mais tempo com os mesmos pneus, preservando suas condições de rodagem, as empresas de recapagem proporcionam uma grande economia. Não só para as empresas transportadoras, mas para toda a sociedade.
 
Segundo o Diretor Comercial, Saulo Muniz Gonçalves, da Moreflex, os pneus estão entre o 2º. e 3º. custo do frotista, desta forma, a redução deste custo reflete diretamente nos valores dos fretes.
 
Apesar da diferença de preço de um pneu reformado em relação a um produto novo suas vantagens vão além: o pneu reformado oferece rendimento quilométrico tão bom ou até melhor do que um pneu novo. Até porque, pneus novos não são garantia de qualidade. Além disso, o custo da reforma chega a ser 70% menor que o de um pneu novo. O que pode proporcionar uma redução de 57% no custo/km. Uma vantagem e tanto, pois o pneu está entre o segundo e o terceiro custo do transporte rodoviário, segundo dados da Associação Brasileira do Segmento de Reforma de Pneus (ABR).
 
Atualmente, dois terços dos pneus de carga em uso são reformados. A reforma repõe no mercado mais de 7,6 milhões de pneus da linha caminhão/ônibus, proporcionando uma economia ao setor de transportes em torno de 5,6 bilhões de reais/ano. (fonte: ABR).
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Volkswagen celebra produção de 200 mil Polo e Virtus

Os modelos iniciaram a maior ofensiva de produtos da marca Os modelos Polo e Virtus acabam…