O Moto 1000 GP anunciou a mudança de sede de duas etapas do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade de 2015. A quarta prova, prevista no calendário inicial para acontecer em São Paulo (SP), está transferida para Campo Grande (MS). A sexta, programada para Brasília (DF), passa a ter como sede Goiânia (GO) – que também receberá a competição em sua terceira etapa, no dia 28 de junho, tendo em disputa o GP Michelin.
A mudança de local das duas etapas deve-se às obras de reforma do Autódromo José Carlos Pace, em Interlagos, em São Paulo, que já recebeu seis eventos do Moto 1000 GP desde a criação do campeonato em 2011, e do Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Brasília, onde aconteceram etapas nos campeonatos de 2011, 2012 e 2014. O estágio de reforma tornou inviável a realização das corridas nestas duas pistas na atual temporada.
“Fizemos um bom planejamento para o calendário de 2015, incluindo as praças importantes e pensando no que internamente nós chamamos de EPPP – equipes, pilotos, patrocinadores e público”, diz o promotor do Moto 1000 GP, Gilson Scudeler. “Ocorre que o cenário atual dos autódromos é de renovação. Isso quer dizer que temos inicialmente que abrir mão do uso por ora para que, no futuro, eles estejam mais modernos e seguros”, acrescenta.
A condição dos autódromos levou a direção do Moto 1000 GP a avaliar as opções disponíveis para substituição. “Um dos fatores que consideramos foi o nível de segurança que cada pista oferece para provas de motovelocidade. A melhor opção levarmos nossa quarta etapa para Campo Grande e a sexta para Goiânia. O importante foi que mantivemos as datas estipuladas desde o início. Era um compromisso do qual não abriríamos mão”, informa Scudeler.
Campo Grande recebeu o Moto 1000 GP uma única vez, na sétima e penúltima etapa do campeonato de 2013. “Aquela foi uma etapa de sucesso, com grande adesão do público, sendo considerada uma das melhores do ano. Goiânia é outro local que conta com um público fiel e apaixonado pelas provas de motovelocidade. O circuito de lá é um dos principais do Brasil, com um alto índice de segurança aos pilotos”, observa o promotor do campeonato.
Gilson Scudeler não disfarçou a decepção pessoal diante da exclusão da etapa brasiliense. “A etapa de Brasília foi a que reuniu nosso maior público em 2014, infelizmente não podemos brindar essa torcida com a presença dos melhores pilotos do Brasil. O caso de Interlagos é diferente, ainda teremos em Interlagos a última etapa do campeonato, no dia 29 de novembro. Vamos levar o Moto 1000 GP aos paulistas apaixonados por motovelocidade”, encerra.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Veja quem são os vencedores do Prêmio Top Car TV 2020

O Prêmio Top Car TV de 2020 foi realizado de forma virtual, devido a pandemia, da Covid-19…