Home Notícias Rosberg X Racing faz história como primeira equipe vencedora da Extreme E

Rosberg X Racing faz história como primeira equipe vencedora da Extreme E

0

A dupla Johan Kristoffersson e Molly Taylor, da Rosberg X Racing, marcou o ritmo desde o início do fim de semana da rodada inaugural da Extreme E em AlUla, Arábia Saudita, mas ainda assim a dupla teve que se esforçar muito no deserto para lutar pela vitória e reivindicar um pedaço da história do automobilismo.

A expectativa antes do X Prix do Deserto era enorme, e o evento atendeu as expectativas em todos os aspectos. Após as provas de classificação de ontem, os pilotos estiveram hoje roda a roda pela primeira vez, gerando algunas das imagens mais espetaculares já vistas no esporte e atraindo o aplauso geral de competidores e fãs.

No final, nada pôde impedir Kristoffersson e Taylor de subirem ao topo do pódio: nem uma penalidade de 60 segundos por ultrapassar o limite de 30 km/h na zona de troca de pilotos ontem, nem as posições menos favoráveis no grid, tanto na seminifinal como na final hoje. Foi uma demonstração virtuosa de velocidade, habilidade e de controle sobre-humano do carro nas condições mais difíceis.
Shoot Out

O duelo pelo sétimo lugar na classificação geral do evento foi disputado entre a Segi TV Chip Ganassi Racing (Kyle LeDuc / Sara Price) e a ABT CUPRA XE (Mattias Ekström / Claudia Hürtgen), ambos com rodadas classificatórias difíceis no sábado. Price se adiantou inicialmente usando seu impulso de potência Hyperdrive, antes de que Ekström retribuísse o favor na saída da primeira curva para arrebatar a liderança.

Assim que a troca de pilotos foi concluída, LeDuc começou a perseguir Hürtgen mas, quase na linha de chegada, o norte-americano – sem visibilidade pela poeira do outro carro – fez contato com sua rival alemã e ambos terminaram o fim de semana presos no deserto.
Crazy Race

Com apenas uma vaga em jogo para chegar à final, havia muito a ser disputado pelos três competidores da Crazy Race: Timmy Hansen / Catie Munnings da Andretti United, a dupla da equipe Hispano Suiza XITE Energy, Oliver Bennett / Christine Giampaoli Zonca e a dupla da JBXE, Jenson Button / Mikaela Åhlin-Kottulinsky.

Uma saída endiabrada de Hansen, Campeão Mundial de Rallycross da FIA 2019, fez com que o sueco já ficasse em vantagem em relação a seus adversários antes que o trio chegasse à primeira porta, com Bennett passando por pouco à frente de Button, ex-Campeão Mundial de Fórmula 1, para arrebatar a segunda posição.

Hansen abriu uma margem de 30 segundos antes de Munnings assumir, após o que a vencedora do Troféu Feminino do Campeonato Europeu de Rally de 2016 administrou habilmente a brecha para levar o carro da Andretti United com segurança à linha de chegada. Giampaoli Zonca fez um bom trabalho atrás de sua rival britânica o tempo todo, com Åhlin-Kottulinsky mostrando uma velocidade igualmente boa em seu caminho para a linha de chegada em terceiro lugar.

Semifinal

Tendo sido os primeiros classificados ontem pela equipe X44, Sébastien Loeb e Cristina Gutiérrez optaram por sair do lado direito do grid para a semifinal, o que lhes dava a linha interior teórica para a “curva um”. A dupla da equipe ACCIONA | Sainz XE, Carlos Sainz e Laia Sanz, escolheu a posição central, enquanto a Rosberg X Racing (Kristoffersson / Taylor) ficou à esquerda.

Quando a ação começou, Sainz teve o melhor início para superar o também multicampeão mundial de rally, Loeb, na linha de chegada, e o francês caiu brevemente para o terceiro lugar. Loeb então recuperou a liderança quando Sainz e Kristoffersson abriram, mas o sueco não se contentou com isso e superou seus dois oponentes na saída da primeira porta para tomar a dianteira.

Kristoffersson levantou uma tempestade de areia em seu rastro, escapando rapidamente enquanto seus perseguidores dirigiam às cegas pela poeira, e quando chegou à zona de troca para fazer a entrega à sua companheira de equipe Taylor, o carro da Rosberg X Racing tinha uma vantagem de quase 13 segundos.

A partir daí, ex-Campeã de Rally da Austrália continuou a aumentando a distância e cruzou a linha de chegada com pouco menos de meio minuto à frente de Gutiérrez, enquanto ambas as equipes garantiam sua vaga na corrida final. A outros 38 segundos de distância, a ACCIONA | Sainz XE Team terminou em terceiro e ficou fora da vitória geral.

Final

Como ganhadores da votação do GridPlay realizada pelo fas, a Andretti United se deu ao luxo de escolher sua posição na saída para a final. Hansen optou devidamente pela pole position na direita, enquanto Kristoffersson se alinhou no centro com o carro da Rosberg X Racing e Loeb, da X44, ocupou o terceiro lugar no grid à esquerda.

Hansen repetiu sua brilhante largada da Crazy Race, enquanto Kristoffersson se esforçava para se defender de Loeb e conseguir a segunda posição, antes de empregar a mesma tática que o havia servido tão bem na semifinal para se espalhar na primeira curva e superar seu compatriota Hansen na saída, em uma sensacional manobra de contravolante.

O tricampeão mundial de rallycross não perdeu tempo em esticar as pernas, enquanto Hansen passava para a segunda posição e Loeb, com problemas na direção assistida, ficava atrás de ambos na terceira posição.

Kristoffersson entregou o carro a Taylor com meio minuto de vantagem e, embora Munnings tenha reduzido a diferença ligeiramente ao longo da segunda volta, a australiana sempre manteve a situação sob controle e terminou mais de 23 segundos à frente na linha de chegada.

“Sim, estamos absolutamente felizes por estarmos aqui e por sermos os primeiros vencedores da primeira rodada da Extreme E. Toda a equipe investiu muito nisso, queríamos muito e não sabíamos o que esperar. Então estar aqui é incrível”, disse Molly Taylor depois de cruzar a linha de chegada na primeira posição.

Kristoffersson, por sua vez, acrescentou: “Nas condições que tivemos hoje foi uma aposta, mas no final apostamos melhor e conseguimos vencer. Ver Molly dirigir até a linha de chegada foi algo muito especial, foi sensacional estar no pódio e observar a equipe, ver como eles comemoravam. Sei como eles trabalharam duro para isso, é realmente um esforço de equipe, tanto por parte da equipe quanto de Molly e de minha parte, então estou muito, muito feliz”.

Resultado final:
Rosberg X Racing (Johan Kristoffersson / Molly Taylor) 2 voltas
Andretti United (Timmy Hansen / Catie Munnings) +23.73s
X44 (Sébastien Loeb / Cristina Gutiérrez) +1m38.09s
Terminado o X Prix do Deserto, os carros embarcarão mais uma vez no St. Helena – o navio que transporta todo o material da Extreme E – para zarpar com destino ao Lago Rosa, no Senegal, palco do X Prix do Oceano nos dias 29 e 30 de maio.
Posições do campeonato:
Rosberg X Racing (Johan Kristoffersson / Molly Taylor) 35 pontos
X44 (Sébastien Loeb / Cristina Gutiérrez) 30 pontos
Andretti United (Timmy Hansen / Catie Munnings) 28 pontos
ACCIONA | Sainz XE Team (Carlos Sainz / Laia Sanz) 26 pontos
Hispano Suiza XITE Energy Team (Oliver Bennett / Christine Giampaoli Zonca) 20 pontos
JBXE (Jenson Button / Mikaela Åhlin-Kottulinsky) 17 pontos
ABT Cupra XE (Mattias Ekström / Claudia Hürtgen) 13 pontos
Segi TV Chip Ganassi Racing (Kyle LeDuc / Sara Price) 12 pontos
Veloce Racing (Stéphane Sarrazin / Jamie Chadwick) 8 pontos

Fonte: Extreme E
Fotos: Divulgação

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias

Deixe uma resposta

Veja também

Novo CTB “simplifica por um lado e endurece por outro”, diz ministro

Validade da CNH passa de cinco para dez anos O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes …