Um dos principais fatores de segurança para o motorista é a visibilidade. E na direção, os melhores aliados para a tarefa de ver e ser visto são os retrovisores. Porém, quando não estão regulados corretamente, eles podem diminuir consideravelmente a visibilidade e aumentar as chances de acidentes, especialmente em mudanças de faixa. Para ajudar na tarefa de fugir do ponto cego, Alessandro Rubio, coordenador técnico do CESVI BRASIL, compartilha as melhores práticas.
 
Segundo o especialista, nos carros existem três formas diferentes de regulagem dos retrovisores. “No primeiro, o espelho lateral fica posicionado no limite do último ponto enxergado pela carroceria. Trata-se do ponto zero, que é a posição recomendada; é quando o motorista tem plena visão de toda a pista. Nas duas outras, não aconselháveis, a lataria do carro é vista respectivamente em até 10% e 20%, por vezes chegando até a maçaneta da porta, o que diminui a área visível e o risco de acidentes”, comenta.
 
“Em carros hatchs compactos, por exemplo, ao regular o espelho a partir desta regra de 20% de sua área para enxergar o automóvel, deixando a maçaneta à vista, o motorista tem uma perda de visibilidade de aproximadamente 40% no espelho retrovisor esquerdo e de 34% no direito. É bastante”, afirma Rubio.
 
 
Para evitar acidentes, uma boa regulagem do retrovisor interno também é essencial. “É comum, especialmente para motoristas que são pais de filhos pequenos, que o espelho fique inclinado para baixo, para facilitar o monitoramento das crianças no banco de trás durante o trajeto. No entanto, a prática não é aconselhável por prejudicar a visão periférica do condutor. Aqui, a dica é que o banco traseiro não fique à mostra e que o espelho esteja mais centralizado possível”, argumenta.
 
Para os condutores de motos, o especialista comenta que inverter posição dos espelhos não é alternativa inteligente. “Muitas vezes, o motociclista faz isso para tentar diminuir um pouco a largura da moto, o que em tese facilita a passagem em corredores de carros, no trânsito. Porém, ao alterar a posição dos retrovisores da horizontal para a vertical, o condutor perde 39% da visão do lado esquerdo e 27% do lado direito”, finaliza.
 
Para analisar quais veículos proporcionam ampla visão ao motorista, o CESVI BRASIL possui o Índice de Visibilidade, que leva em consideração a medição e análise das áreas não-visíveis ao motorista, e a combinação entre espelhos retrovisores, vidros e a própria carroceria do veículo.
 
O ranking aponta os veículos que mais permitem a visibilidade necessária para que o motorista tenha plena capacidade de evitar um acidente. No site do Centro, é possível fazer a comparação de veículos e montadoras no quesito visibilidade.
Fonte: CESVI BRASIL
Foto: Shutterstock
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Nissan comemora 20 anos de uma história de sucesso no Brasil

Da importação de carros à fabricante nacional de automóveis, marca consolida sua presença …