Após o financiamento de veículos sofrer o impacto das medidas governamentais para incentivo do setor automotivo, a ANEF (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras) verificou queda de 0,6 % no saldo das carteiras de financiamento para a aquisição de veículos, passando de R$ 242,2 bilhões em dezembro de 2012 (CDC+Leasing – Pessoa Física e Pessoa Jurídica) para R$ 240,6 bilhões em janeiro de 2013. Na comparação com o mesmo período de 2012 (saldo de 245,6 bilhões) a redução foi de 2%.
 
Durante o mês de janeiro deste ano, a liberação de recursos para financiamento (CDC) foi de R$ 8,981 milhões, sendo R$ 7,709 milhões para Pessoa Física e R$ 1,272 milhões designados para Pessoa Jurídica. O total foi 12% menor do que o valor liberado durante o mês anterior (dezembro) e 1,1% menor que o mesmo período do ano passado (janeiro de 2012). O leasing teve apenas R$ 0,234 milhão liberados durante o mês, sendo R$ 0,050 milhão para PF e R$ 0,184 milhão para PJ.
 
Durante os primeiros trinta dias do ano as taxas médias de juros mantiveram-se estáveis. Assim como em dezembro de 2012, a ponderação média das taxas praticadas pelas associadas da ANEF manteve-se, durante o mês de janeiro, em 1,25% ao mês e 16,08% ao ano. “As montadoras oferecem taxas de juros em grande parte subsidiadas, atingindo melhores condições e valores mais competitivos, inclusive com a possibilidade, em algumas situações, de oferecer a opção da taxa zero”, explica Décio Carbonari.
 
As taxas praticadas pelos bancos de varejo apresentaram pequenas variações passando de 1,52% a.m. em dezembro para 1,57% ao mês em janeiro e de 19,8% ao ano para 20,5% ao ano, nos financiamentos (CDC) para pessoa física. Nos financiamentos oferecidos por estes mesmos bancos, para Pessoa Jurídica, a taxa média de juros foi de 1,18% a.m em dezembro e subiu para 1,23% em janeiro e de 15,1% ao ano para 15,8%. A Taxa Selic também se manteve estável, ficando em 0,58% a.m e 7,25% ao ano.
 
Planos e prazos de pagamento
 
Os planos máximos disponibilizados pelos bancos aos consumidores seguiram em 60 meses, durante os primeiros trinta dias deste ano, no entanto, o prazo médio das concessões foi de 43 meses. No mesmo período de 2012, este prazo médio era de 46 meses.
 
Inadimplência
 
A falta de pagamento de contratos de financiamento (CDC) acima de 90 dias, no caso de Pessoa Física, manteve-se estável em janeiro, ficando em 6,4%, enquanto nos contratos de leasing para PF a inadimplência cresceu 0,2 pontos percentuais no mês, chegando a 10,1%. A inadimplência entre pessoas jurídicas também se manteve praticamente estável, com uma pequena variação de +0,1p.p nos atrasos com mais de 90 dias para financiamentos (CDC), ficando em 4,5%, e mantendo-se igual ao mês de dezembro nos contratos de leasing, em 5%.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Toyota oferece Yaris com motorização mais potente em versão XL Plus Tech

Versão seguirá com mesmo preço sugerido, reforçando o compromisso da Toyota de oferecer a …