\"\" 
 
A Suzuki anunciou sua primeira novidade para este ano. Com preço sugerido de R$ 3.990 (sem frete), a GS 120 é o novo modelo de entrada da marca no País e chega às concessionárias em maio para fisgar o motociclista iniciante. Um perfil que não se importa em abrir mão do desempenho maior de uma 125cc para adotar um veículo simples e barato que substitua o transporte público em seus deslocamentos dentro da cidade.
 
Visualmente, a GS 120 é um modelo simples, como acontece com a maioria das streets de baixa cilindrada. O tanque de 9,2 litros é menor do que o reservatório que equipa a Yes SE e a família GSR. A peça também recebeu contornos mais retangulares, complementados pelos traços em ângulos retos das tampas laterais e da rabeta, fazendo da GS 120 uma moto menos arredondada do que as outras street da Suzuki. As cores disponíveis são vermelha, preta, cinza, branca e azul.
 
A moto também recebeu outras alterações notáveis já a primeira vista para ter preço abaixo das outras do line-up. As rodas raiadas aro 17’’ substituíram as de liga leve. O escape é mais estreito e o assento tem menos espuma do que os presentes nos outros modelos do segmento produzidos pela marca. Para manter a vocação de moto prática, o bagageiro presente nas suas irmãs maiores foi mantido.
 
\"\"
 
No painel, a GS 120 mantém a simplicidade sem nenhum elemento digital. Informações básicas, como velocidade e quilometragem percorrida são exibidas por um mostrador analógico que traz ao lado as luzes espias e um indicador que mostra qual das quatro marchas do câmbio está engatada. Todavia, motociclistas mais experientes que montarem na moto sentirão falta do conta-giros.
 
Agilidade e leveza
 
O motor da GS 120 é um monocilíndrico quatro tempos de 113 cm³ com comando único no cabeçote (OHC) alimentado por carburador. Acionado por pedal, o propulsor é capaz de gerar 8,4 cv de potência máxima a 8.000 rpm e um torque máximo de 0,88 kgf.m a 5.500 rpm. Embora os números de desempenho sejam pequenos, mesmo para os modelos de baixa cilindrada, a nova moto da Suzuki tem a seu favor o baixo peso. São 107 kg em ordem de marcha, um número consideravelmente menor em relação aos 128 kg da Yes e dos 134 kg da GSR 125.
 
\"\"
 
A baixa potência e peso também são desculpas para substituir o freio a disco na roda dianteira. Ambas as rodas usam freios a tambor ajudam a baixar o custo do projeto. No quesito suspensão, a moto adota o padrão do segmento: balança biamortecida com ajuste na précarga da mola na traseira e garfo telescópico dianteiro convencional.
 
Mercado
 
O novo modelo da Suzuki terá como concorrentes diretas a Honda Pop 100 (R$ 4.190) e a Dafra Super 100 (R$ 3.890) e poderá ser adquirido por meio do consórcio nacional da marca em 60 parcelas de R$ 85,29. Com a dificuldade na aprovação de fichas cadastrais para financiamentos, o consórcio surge como uma boa opção, principalmente para quem está em busca da primeira moto. De acordo com a Abraciclo, associação do segmento de duas rodas, 35% das motocicletas comercializadas no ano de 2012, foram vendidas pelo sistema de consórcio
 
Fonte: Infomoto
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

FCA homenageia os seus consumidores no Dia do Cliente

Estratégia desenvolvida pela área de Customer Relationship Management (CRM) cria campanha …