Um levantamento realizado no banco de dados do WebMotors – portal brasileiro especializado no setor automotivo –  mostrou que automóveis movidos a gasolina foram os que sofreram maior depreciação entre maio de 2013 e maio deste ano. Segundo o índice, a categoria apresentou, durante o período analisado, baixa de 8,1%. O declínio está relacionado à preferência do comprador pelos modelos com motorização flex.
 
Ainda de acordo com as informações coletadas, dentre os modelos com motor a gasolina que obtiveram as maiores desvalorizações está o Volvo XC60 3.0 turbo, ano/modelo 2011, equipado com câmbio automático. O preço do SUV (Sport Utility Vehicles) apresentou queda de 23%, reduzindo de R$ 140.765,00 para R$ 108.343,00
 
Em segundo lugar no ranking estão os veículos movidos a diesel, com queda de 6,9%. Nesta categoria, o modelo que mais desvalorizou no período foi o Ssangyong Korando 2.0 turbo, ano/modelo 2012, também equipado com câmbio automático. A variação média registrada no utilitário esportivo apresentou queda de 20,6%, passando de R$ 111.877,00 para R$ 88.835,00.
 
O fato de a maioria dos veículos a diesel ser importado e ter alto custo no pós-venda são alguns dos fatores que ajudam a explicar o percentual elevado de queda de preços no período.
 
Já os veículos bicombustíveis tiveram baixa de 6,5%. O Citroën Aircross 1.6 16V, ano/modelo 2013, com câmbio manual, é um exemplo desse tipo de automóvel, que mais desvalorizou. As informações do banco de dados apontaram queda de  19,1%. Em 2013 o veículo era comercializado por R$ 60.575,00. Neste ano seu preço passou para R$ 49.012,00.
 
Em contrapartida, os carros que apresentaram menor diminuição foram os movidos a etanol, com depreciação de 6,2%. O Chevrolet Classic 1.0 8V, ano/modelo 2005, com câmbio manual, foi o que apresentou maior redução. O sedã recuou 7,8% passando de R$ 15.993,00 passou a valer R$ 14.750,00, em 2014.
 
É importante ressaltar que durante a análise, o Índice WebMotors excluiu os veículos híbridos e os tetrafuel por não terem amostragem suficiente para  comparação. Ainda assim, no caso dos híbridos, o Ford Fusion 2.5 16V, com câmbio automático foi o único modelo com a quantidade de amostragens próximas do mínimo exigido para a checagem. Ele apresentou 6,3% de queda no período, passando de R$ 81.586,00 para R$ 76.450,00.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Renault anuncia investimento de R$ 1,1 bilhão no Brasil

O anúncio reafirma a importância do mercado brasileiro para o Grupo Renault A Renault do B…