Detalhes sobre qual o novo veículo, motorização e data exata de lançamento serão comunicados oportunamente

A Toyota do Brasil formalizou a intenção de investir R$ 1 bilhão em seu parque industrial de Sorocaba (SP). A unidade, inaugurada em 2012, que já produz os modelos Etios e Yaris, será responsável pela fabricação de um novo modelo no mercado brasileiro com previsão de comercialização em 2021.

A escolha de Sorocaba se deu pelo projeto inicial da unidade, que já previa a possibilidade de ampliação, além de facilidade logística dos fornecedores. Para iniciar a produção desse novo veículo, a Toyota prevê a contratação de 300 novos colaboradores.

“O compromisso da Toyota com o desenvolvimento da indústria automotiva brasileira e com o Brasil só é possível com uma parceria forte entre os vários stakeholders da empresa. Esse anúncio de mais um investimento que fazemos no Brasil é o resultado do trabalho conjunto de nossos colaboradores, fornecedores, concessionários, sindicatos e o governo e reforça nossa visão de longo prazo no País”, afirma Masahiro Inoue, CEO da Toyota para a América Latina e Caribe e Chairman da Toyota do Brasil.

Detalhes sobre qual o novo veículo, motorização e data exata de lançamento serão comunicados oportunamente.

“Este anúncio de mais um investimento representa uma Toyota mais forte no Brasil. Durante essa década, que significou tempos desafiadores para a economia e o setor automotivo, a Toyota permaneceu fiel ao seu compromisso de buscar o sorriso de seus clientes, crescendo de forma sustentável, buscando maior competitividade nos negócios e, fundamentalmente, contribuindo para o desenvolvimento das sociedades onde está inserida”, enaltece Rafael Chang, Presidente da Toyota do Brasil.

Sete anos em Sorocaba

Em agosto, a Toyota celebrou sete anos de sua fábrica de Sorocaba, a terceira unidade produtiva aberta no País. Fruto de um investimento inicial de US$ 600 milhões, a unidade é um marco nas operações da fabricante de veículos no Brasil, pois reúne atributos das plantas mais modernas da Toyota em todo o mundo.

Nesta curta história, a unidade da Toyota, que foi inaugurada para produzir 74 mil veículos por ano, recebeu investimentos adicionais de R$ 1 bilhão em janeiro de 2015 e hoje possui capacidade para fabricar 108.000 unidades anualmente.

Indiretamente, a planta de Sorocaba induziu novos investimentos no Brasil, seja da própria marca ou de fornecedores. O parque de fornecedores localizado ao lado do terreno da unidade abriga 11 empresas. A Toyota, como resultado da boa performance de Sorocaba, decidiu construir sua planta de motores em Porto Feliz (SP), com investimento de R$ 580 milhões. Essa planta produz os motores 1.3 e 1.5 litro, VVT-i, que equipam o Etios e o Yaris e, desde o mês passado, também produz o novo motor 2.0L Dynamic Force que equipa o Novo Corolla 2020.

Produção

Comprometida com o crescimento sustentável das operações da Toyota na América Latina, a fábrica de Sorocaba é, ainda, um marco de produtividade neste pouco tempo de existência, mesmo com o desafiador cenário da indústria nacional.

Desde o início, a unidade vem sempre aumentando sua produção, sendo que nos últimos três anos, o total de unidades produzidas em Sorocaba cresceu, em média, 13% ao ano. Neste ano, de janeiro a agosto, já saíram da linha de produção mais de 80 mil unidades de Etios e Yaris, um volume 2% maior do que o mesmo período do ano passado. Ao longo de sete anos, mais de 665 mil veículos saíram da linha de produção daquela instalação.

Ecofactory

A fábrica da Toyota em Sorocaba retrata uma nova visão da prática industrial da empresa. Seguindo o modelo de Ecofactory, elaborado pela Toyota Motor Corporation a partir de critérios de alto padrão de eficiência socioambiental, esta subsidiária colabora de forma ativa para o desenvolvimento econômico e social, reduzindo o potencial de impacto sobre o ambiente – em consonância com as diretrizes do Desafio Ambiental Toyota 2050 e do Toyota Environmental Action Plan.

As metas são semelhantes às aplicadas às outras fábricas, mas com maior rigidez: desde o início das operações, buscou-se reduzir ao máximo os índices de emissões de CO2 e compostos orgânicos voláteis (VOCs), bem como reutilizar a água das chuvas, reaproveitar ou reciclar todos os resíduos e efluentes – sem utilizar, portanto, aterros sanitários – e aprimorar a logística, de forma a gerar menor impacto e operações menos custosas e mais eficientes.

Depois da realização do estudo de impacto ambiental – que já previa as principais formas de aplicação das diretrizes do modelo Ecofactory – e da concessão da licença de instalação, em 2009, a Toyota do Brasil iniciou os contatos com os fornecedores, no intuito de tê-los instalados no parque industrial da montadora em Sorocaba – o que, simultaneamente, reduziria emissões veiculares e otimizaria as operações.

A montadora também participou dos estudos de impacto da planta sobre o trânsito do município. Com o governo, foram definidas readequações viárias e estruturais para facilitar o acesso entre o parque industrial, a rodovia Castello Branco e o centro de Sorocaba.

Cumprindo a legislação vigente, a compensação ambiental da Toyota foi a aplicação do correspondente a 5% do valor do empreendimento – cerca de R$ 4,96 milhões – no Parque Natural Municipal Corredores da Biodiversidade. O espaço, primeira área de conservação de Sorocaba, foi elaborado pela Secretaria de Meio Ambiente do município, com apoio de consultores ambientais da Toyota.

Atualmente, a empresa possui um programa de visitas em suas fábricas chamado Toyota Tour. Na unidade de Sorocaba o foco é compartilhar boas práticas socioambientais para crianças e adultos.

Diferenciais ambientais da planta de Sorocaba

Emissões de CO2 – Processos de maior eficiência, como a tecnologia de pintura úmido sobre úmido e a eliminação da estufa da pintura primer, reduziram o consumo de energia elétrica e gás natural, representando queda de 35% nas emissões. Desde 2015, 100% da energia elétrica utilizada em todas as fabricas da Toyota no Brasil são oriundas de fontes renováveis.

ÁGUA – Com um sistema fechado de reaproveitamento de água, o consumo de água foi reduzido em mais de 50% em comparação com outras plantas.

VOC – Uso de água em substituição ao solvente orgânico no processo de pintura reduziu em 60% as emissões de compostos orgânicos voláteis (VOCs).

Resíduos – Premissa TDB: aterro zero – Foi priorizada a utilização de materiais e insumos que passam por reciclagem. Os resíduos perigosos se tornam matéria-prima e fonte de energia para fornos de cimento.

Cinturão Verde – Plantio de mudas nativas ajuda a recompor a biodiversidade local por meio da Metodologia Miyawaki, que permite crescimento das árvores 10 vezes mais rápido. Desde 2011, já foram plantadas mais de 130.000 árvores de cerca de 140 espécies nativas. Além disso, por conta desse reflorestamento, foi constatado um aumento da diversidade e quantidade de aves na região. Nomeado de Morizukuri, palavra em japonês que significa “Criar floresta”, o projeto contribui para pesquisas de universitários, incluindo tese para mestrado.

Ciclo de investimentos

Esse novo anúncio é mais um na extensa lista de investimentos realizados pela montadora no Brasil. Com ele, a Toyota terá realizado nesta década um total de R$ 6,68 bilhões de investimentos no País.

Desde 2012, a empresa investiu na construção de duas fábricas – Sorocaba e Porto Feliz, onde são feitos os motores 1.3L e 1.5L que equipam os modelos Etios e Yaris, e o novíssimo motor 2.0L Dynamic Force, que move a nova geração do Corolla.

A Toyota também já ampliou essas duas unidades fabris, renovou sua unidade de São Bernardo do Campo, a primeira fora do Japão em todo o mundo, modernizou a fábrica de Indaiatuba e construiu um Centro de Distribuição em Suape (PE). Além disso, modernizou a unidade fabril de Indaiatuba para começar a produzir a 12ª segunda geração do Corolla, com significativa atualização tecnológica.

Artigos Relacionados
Leia mais em Destaques
Comentários estão fechados

Veja também

Fiat divulga condições especiais no Dia do Supernegócio

Só neste sábado (19), a Fiat fará um esforço jamais visto para compartilhar preços imbatív…