Segundo dados apurados pela Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, entidade que representa mais de 7 mil concessionários de veículos no Brasil, a transferência de veículos seminovos e usados, em todos os segmentos automotivos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas e implementos rodoviários), cresceram 5,3% no comparativo entre julho e agosto deste ano. No total, foram transferidas 1.261.007 unidades, contra 1.197.562 de julho. No acumulado deste ano, as transferências já somam 8.653.973 unidades, com pequena queda de 1,8% em comparação com o mesmo período de 2015.
Para os segmentos de automóveis e comerciais leves, somados, o total transferido registrou aumento de 5,29% ante o mês de julho e quase 10% em relação a agosto de 2015. No total, foram negociadas 950.460 unidades no oitavo mês do ano, contra 906.799 em julho. No comparativo dos oito primeiros meses de 2015 e 2016, foi registrada queda de pouco mais de 2%, totalizando 6.609.042 no ano passado, contra 6.471.250 neste ano.
De acordo com o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, o mercado de seminovos, composto por veículos de até 3 anos, se mantém aquecido. Isso ocorre, pois, o distanciamento de preços entre alguns modelos novos e seminovos é pequeno. “Dessa forma, alguns consumidores optam por comprar um seminovo mais completo em detrimento de um novo mais simples”, explicou Assumpção Júnior.
Esta tendência é refletida na diferença da venda de usados para cada novo. Segundo a Fenabrave, a cada automóvel e comercial leve novo, vendido nas concessionárias autorizadas, são realizadas 5,6 transferências de usados. “Esta proporção é ainda maior no segmento de caminhões, que chegou a 7,2 usados para cada novo vendido”, disse o presidente da Fenabrave.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Bom funcionamento do alternador evita problemas na bateria sob uso diurno dos faróis

Veículos sem operação automática, ou desprovidos do sistema de alerta, requerem a atenção …