Ícone impressionou profundamente os amantes de conversíveis

Já se passaram 20 anos desde o lançamento do BMW Z8, um roadster moderno e icônico que marcou profundamente os amantes de conversíveis. O BMW Z8 trazia uma carroceria de 4,4 metros projetada por Henrik Fisker e deu continuidade à tradição do lendário BMW 507, de 1956, criado por Albrecht von Goertz (1914-2006). Fiel à fórmula de sucesso dos roadsters da marca, o BMW Z8 ostentava um capô muito longo, uma posição de condução mais próxima ao eixo traseiro e uma linha de cintura baixa.

Sob o nome de BMW Z07, o mundo conheceu o BMW Z8 ainda como um veículo-conceito durante o Salão do Automóvel de Tóquio, em 1997. Apenas no Salão do Automóvel de Frankfurt, em 1999, é que a versão de produção foi apresentada, chegando ao mercado global em 2000. O modelo foi comercializado por três anos e 5.703 unidades foram fabricadas. Todos elas, feitas manualmente por operadores especializados na fábrica de Munique, na Alemanha.


O motor mais potente do momento

Entre suas principais características, destaca-se um chassi com inúmeras peças de alumínio. A cuidadosa distribuição de peso (50:50) entre eixos, bem como o uso do powertrain M S62 do BMW M5 – e ajustado pela BMW Motorsport – deram ao Z8 um dinamismo extraordinário. Ele utilizava um bloco V8 de 4,9L com 405 cv acoplado a um câmbio manual de seis velocidades. Na época, esse era o motor de produção mais potente que a BMW tinha em seu portfólio e, claro, o BMW Z8 não merecia menos.

Toda essa potência era enviada para o eixo traseiro e gerenciada pelo Controle Dinâmico de Estabilidade (DSC) e por um diferencial autoblocante. Além disso, o BMW Z8 foi o primeiro veículo europeu a oferecer pneus run-flat com rodas de 18 polegadas de fábrica com monitoramento de pressão dos pneus; uma tecnologia inovadora para aquele momento. O BMW Z8 era capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 4,7 segundos e sua velocidade máxima era limitada eletronicamente a 250 km/h.

Um roadster cheio de exclusividade e curiosidades

O BMW Z8 era um modelo verdadeiramente exclusivo e único, e a marca queria que sua aquisição fosse uma experiência à altura. A BMW ofereceu aos clientes a possibilidade de se deslocar à fábrica em Munique e presenciar as últimas etapas da montagem do seu veículo. Além disso, no momento de entrega das chaves, elas eram acompanhadas por um livro feito à mão que incluía fotografias do processo de produção daquela unidade específica, bem como amostras reais da pintura e revestimento.

O nível de exclusividade do BMW Z8 era tão elevado que ele se tornou um dos veículos do agente secreto mais famosos de todos os tempos. O BMW Z8 foi co-estrela de James Bond no filme “O Mundo Não é o Bastante” (1999). Além disso, sua esportividade e tecnologia de ponta fizeram com que o BMW Z8 atuasse como safety car no Campeonato Mundial de MotoGP na temporada de 2002.

Hoje, a essência do BMW Roadster continua com o BMW Z4 atual. Este conversível de dois lugares oferece as mesmas proporções estéticas que o BMW 315/1 estreou em 1934 e que foram seguidos por clássicos icônicos como o BMW 328 Roadster (1937), o BMW 507 (1956) ou o BMW Z1 dos anos 1980.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Nissan comemora 20 anos de uma história de sucesso no Brasil

Da importação de carros à fabricante nacional de automóveis, marca consolida sua presença …