Os catalisadores são peças importantes do setor automotivo pela capacidade de reduzir em mais de 95% as emissões de poluentes de veículos, inclusive daqueles movidos a diesel. Os catalisadores impedem que caminhões e ônibus, por exemplo, liberem ainda mais gases no ar, uma vez que eles são responsáveis por cerca de 47% do particulado e outras substâncias prejudiciais à saúde lançadas na cidade de São Paulo.

De acordo com o Proncove (Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores, equivalente à regulamentação europeia, Euro 5), quando catalisadores são removidos de ônibus e caminhões com fabricações acima do ano de 2012, causam o aumento significativo das emissões de Óxido Nitroso (NOx) e estão sujeitos à multa de trânsito por adulteração de característica original do veículo, além de crime ambiental por emissões acima do estipulado em lei. Esta remoção exige adaptações e causa a perda de garantia do motor.

“Quando se mantém a peça e a manutenção preventiva correta, além da garantia e bom funcionamento do veículo, também se contribui para a redução das emissões atmosféricas de poluentes nocivos à saúde humana e ao meio ambiente”, explica Eduardo Nogueira Dias, engenheiro de aplicação de Catalisadores da BASF. “Também evita a parada do veículo por problemas eletrônicos, adaptações malfeitas e garante a economia de combustível a longo prazo”, completa.

No entanto, ainda existem questionamentos sobre o uso e benefícios dos catalisadores, que geram desconfianças por parte dos proprietários sobre a peça. Por isso, Eduardo esclarece alguns mitos e verdades a esse respeito:

Catalisadores de caminhões e ônibus diminuem a performance do motor?

Mito- Os catalisadores e a injeção dos motores são dimensionados de modo a otimizar a performance, economia de combustível e durabilidade, além de cumprir com os limites de emissões de poluentes impostos por lei.

A remoção do catalisador pode prejudicar o motor do veículo?

Verdade – A remoção do catalisador altera a leitura dos sensores e o correto funcionamento da injeção eletrônica do motor, fazendo o motor perder potência repentinamente (modo de corte de potência).

Rodar com o veículo sem o reagente ARLA32, com ARLA32 adulterado ou com sistema de burla de injeção pode dar multa?

Verdade – Adulterar as características originais do veículo é passível de multa e apreensão do veículo, previsto no código de trânsito brasileiro, além de caracterizar crime ambiental, tanto pela adulteração do veículo como pela ausência de ARLA32 no tanque.

O uso de diesel S500 num veículo P7 (EuroV) pode danificar o catalisador?

Verdade – O combustível recomendado para caminhões e ônibus é o S10, pois o maior teor de enxofre contido no diesel S500 pode prejudicar o funcionamento do catalisador. O enxofre promove o envenenamento da peça, que perde performance e deixa de exercer sua função de conversão de gases nocivos em gases inertes.

Artigos Relacionados
Leia mais em Dicas e Serviços
Comentários estão fechados

Veja também

Instituto Renault celebra 10 anos de atuação no Brasil

Criado em 14 de setembro 2010, o Instituto atua em dois eixos principais: inclusão e mobil…