Já tem muita gente se programando para as tão sonhadas viagens de fim de ano. O trajeto, o lugar, a companhia, quase tudo já está planejado. Mas, para quem vai viajar de moto, é hora de fazer a manutenção e ver se a revisão está em dia. Qualquer problema com peça ou mal funcionamento pode acabar com a diversão e causar muita dor de cabeça. E nada de achar que é cedo para isso: é preciso tempo para verificar se está tudo em ordem, comprar as peças que precisam ser substituídas e agendar um tempo com o mecânico de confiança. Melhor se antecipar para garantir uma viagem tranquila.  
Caso não se sinta seguro para fazer uma análise detalhada da moto, o motociclista deve procurar uma concessionária autorizada ou oficina especializada. Fundamental é sempre ter a motocicleta em plenas condições de uso, principalmente antes de trechos onde serão percorridos muitos quilômetros. Importante também é pesquisar e observar a qualidade das peças a serem utilizadas. “Nos preocupamos muito com a segurança dos motociclistas, por isso oferecemos produtos de alta qualidade para a manutenção das motos. Kits relação, câmaras de ar, amortecedores, caixas de direção e pedais de partida são alguns deles. Queremos que os motociclistas sigam até o seu destino e retornem com tranquilidade”, afirma Charles Koschnik, Diretor Comercial da Riffel Motospirit, empresa do segmento de moto peças e roupas de segurança para motociclistas. 
Mesmo que a manutenção do veículo esteja em dia, seguindo o que diz o manual do proprietário, é importante analisar alguns itens para não ser surpreendido no caminho. Entre as dicas, a primeira é checar todo o sistema de iluminação. “Farol, lanterna e seta são componentes para serem vistos pelos demais veículos, é questão prioritária de segurança. Depois, verifique a folga da corrente e se está na hora de lubrificá-la para evitar danos. Se o pinhão ou a coroa estiverem desgastados, troque o kit relação por completo. Examine as pastilhas de freio; se estiverem com nível acentuado de desgaste, providencie a troca imediata”, sugere Koschnik.  
Atenção também com a calibragem, que em geral muda se a motocicleta for ocupada por uma ou duas pessoas e também se tiver com bagagem ou não. “Siga rigorosamente as orientações fornecidas pelo fabricante, assim você trafega com mais segurança, economiza combustível e ainda minimiza as chances de desgaste incorreto dos pneus. Aproveite a parada no posto para encher o tanque e, claro, sempre que possível abasteça durante o trajeto para não ficar pelo caminho”, ressalta Koschnik.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Nissan comemora 20 anos de uma história de sucesso no Brasil

Da importação de carros à fabricante nacional de automóveis, marca consolida sua presença …