Com a divulgação dos índices de vendas da Ford na Europa se constata o aprofundamento da recessão na região que continua a dissuadir os clientes de comprar carros, apesar dos descontos oferecidos pelos fabricantes. 
 
Conforme dados divulgados pela ACEA – “European Automobile Manufacturers\ Association”, no último mês de fevereiro, as vendas da Ford caíram 21% nos países da União Europeia(*) e da EFTA – “European Free Trade Agreement” (Associação Europeia de Livre Comércio), formada por Islândia, Noruega, Principado de Liechtenstein e Suíça.
 
Roelant de Waard, chefe de vendas e marketing da Ford Europa, disse em comunicado que as vendas da empresa foram prejudicadas pelas paralisações de produção na fábrica de Genk, na Bélgica, devido aos protestos dos trabalhadores pelo anunciado fechamento da fábrica no próximo ano.
 
“Nossas vendas, nos dois primeiros meses do ano, foram significativamente afetadas pela falta de fornecimento consistente do Mondeo, S-Max e Galaxy, veículos que são construídos em Genk, onde a produção foi reiniciada depois que os empregados concordaram com os termos das indenizações.
 
"Agora, nós temos uma forte demanda por estes veículos que, rapidamente voltarão a atender aos pedidos e à demanda", concluiu o executivo.
 
(*) Países da União Europeia:
Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária,Chipre, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grã Bretanha, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Países Baixos, Polônia, Portugal, República Checa, Romênia e Suécia.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Nissan comemora 50 anos da linha Z com o 370Z 2020

Edição especial do aniversário de 50 anos inspirada no lendário carro de corrida BRE 240Z …