Há 35 anos, em julho de 1981, as concessionárias Volkswagen no Brasil começavam a receber as primeiras unidades do Voyage. Derivado do Gol, o sedã já acumula mais de 1 milhão de unidades vendidas ao longo de sua história. Oferecido inicialmente apenas com carroceria de duas portas, o Voyage foi lançado nas versões S e LS, com opção de motores movidos a álcool ou a gasolina, ambos de 1,5 litro e refrigerados a água. O câmbio era de quatro marchas.
Como o Gol, o Voyage foi totalmente projetado e desenvolvido no Brasil e, ao longo de sua história, já teve mais de 410 mil unidades exportadas para 61 países. Quinto modelo Volkswagen mais vendido do mercado brasileiro, o Voyage registrou 14.102 unidades comercializadas no mercado nacional no acumulado do primeiro semestre de 2016.
 
A produção do Voyage teve início na fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo, que fabricou 340.891 unidades do carro em dois períodos: entre 1981 e 1987 e entre 1990 e 1996. Nos anos de 1988 e 1989 o carro foi produzido na fábrica de Taubaté, no interior do estado de São Paulo. Desde 2008, o modelo é produzido exclusivamente na unidade de Taubaté, na mesma linha em que é fabricado também o Novo Gol.
O nome Voyage significa “viagem” em francês e foi escolhido para o carro pela conotação de qualidades como charme e beleza. O Voyage apresenta design versátil com formas, linhas e proporções harmônicas, combinando uma imagem clássica com modernidade.
Pelo mundo
Uma curiosidade sobre as exportações do Voyage é que o sedã somente é comercializado com este nome na Argentina, onde também foi vendido com o nome Gacel (‘gazela’, em espanhol). Nos demais países da América do Sul, América Central e México, o Voyage é conhecido como Gol Sedan.
Já nos Estados Unidos e no Canadá, onde foi vendido durante um período de sete anos (de 1987 a 1993), foi chamado de Fox (o atual modelo com este nome ainda não existia) e somou mais 202 mil unidades comercializadas. Na ocasião, o Voyage exportado já contava com uma novidade para a época que era um inédito sistema de injeção de combustível. Em relação às versões comercializadas no Brasil, os modelos receberam aproximadamente 2.000 modificações, incluindo suspensão e câmbio de quatro marchas com “overdrive” (longo).
 
Atualmente, o Voyage é exportado para oito países: Argentina, México, Bolívia, Chile, Colômbia, Peru, Paraguai e Uruguai. Entre os 61 países onde o Voyage já foi comercializado estão Egito, Haiti, Libéria, Bahamas, Angola e Jordânia.
Evolução constante
 
A versão inicial do Voyage passou por inúmeras atualizações ao longo de sua história, marcada também por várias séries especiais, a começar pelo Voyage Plus, de 1983, e o Voyage Los Angeles, caracterizado pela cor azul metálica, que homenageava os Jogos Olímpicos realizados na cidade americana. Sua produção se estendeu até 1996, quando o modelo foi substituído no portfólio da Volkswagen pelo recém-chegado Polo Classic.
Em 2008, com plataforma totalmente nova e desenvolvido simultaneamente com a quinta geração do Gol, o Voyage retornou ao mercado, trazendo motor transversal, maior espaço interno e tecnologia e conforto condizentes com os novos níveis de exigência do mercado brasileiro do século 21. Oferecido com motores TotalFlex 1.0 e 1.6, a partir do ano seguinte ele também passou a contar com a opção da transmissão automatizada I-Motion.
 
De lá para cá, ano a ano, o sedã vem se modernizando e inovando sua categoria. Seja em estilo ou em equipamentos de série. No início de 2016, o sedã recebeu na linha 2017, entre outras novidades, a evolução de design, um interior completamente novo e passou a contar com a tecnologia Volkswagen App-Connect, a mais inovadora em sistemas de infotainment no mercado, tornando-se o sedã mais conectado no mercado brasileiro.
 
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Mercedes-Benz do Brasil é premiada por iniciativas de diversidade

Seguindo estratégia global da Daimler, Companhia valoriza as diferenças e fortalece a cult…