Lote é composto pelos Volksbus 17.210 e um total de 698 unidades foram exportadas do Brasil

A VW Caminhões e Ônibus participa da modernização do transporte público de Angola, na África, e embarca 130 ônibus para esse destino. Todo o lote é composto por modelos Volksbus 17.210 que já entram no combate contra a pandemia de Covid-19: todas as unidades são equipadas com carroceria Marcopolo Torino e barreiras de proteção para motorista e cobrador Marcopolo BioSafe. A solução flexível e modular pode ser instalada em diferentes carrocerias, reduzindo a possibilidade de contágio ao diminuir a exposição dos profissionais a possíveis gotículas expelidas durante a fala, tosse ou espirro.

Ao longo dos últimos anos, a VW Caminhões e Ônibus já exportou 568 modelos Volksbus que fazem parte do Projeto de Transporte Urbano Regular de Passageiros (TURP), gerenciado pelo Grupo Asperbras, representante oficial da montadora naquele país há mais de dez anos. A frota enviada já está em ação, distribuída entre 18 províncias de Angola, tais como a capital Luanda, onde está o maior número de chassis.

“Angola tem uma rede de transportes urbanos ainda muito aquém das suas necessidades. Em Luanda, por exemplo, há 8 milhões de habitantes para pouco mais de 500 ônibus, cobrindo apenas 15% da província. Por isso, mesmo em tempos de pandemia, as negociações continuaram”, afirma Geraldo Kulaif, diretor do Grupo Asperbras.

“A VW Caminhões e Ônibus iniciou oficialmente suas exportações em 1985. Alcançar, portanto, os nossos 35 anos de presença internacional com negócios que promovem a qualidade e segurança no transporte é um marco em nossa história”, comenta Leonardo Soloaga, diretor de Vendas Internacionais da VW Caminhões e Ônibus.

O maior percentual dos ônibus enviados a Angola, que chega a 87%, atende à demanda do transporte público de passageiros, considerando também categorias de benefícios e gratuidades, tais como estudantes, jovens, idosos, pessoas com mobilidade reduzida e veteranos da pátria.

Outros 8% destinam-se a demandas específicas de transporte de passageiros ligados a ministérios, hospitais e projetos sociais. Os 5% restantes dedicam-se ao transporte de passageiros para instituições de ensino superior.

Kulaif afirma que a escolha pelos ônibus VW considerou a consolidação da marca, a qualidade e robustez de seu motor e as necessidades mínimas de manutenção corretiva. “Os veículos que já estão em operação são bastante elogiados e têm se saído muito bem”, conta o diretor da Asperbras.

Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

IMSA: Derani vai em busca de mais um pódio neste domingo em Mid-Ohio

Brasileiro destaca características difíceis do traçado, mas segue confiante e embalado, ap…