Home Notícias Alta do diesel nas refinarias deve impactar custo do frete

Alta do diesel nas refinarias deve impactar custo do frete

Comentários desativados em Alta do diesel nas refinarias deve impactar custo do frete
O aumento do preço do diesel em 6,1% nas refinarias, anunciado pela Petrobras no dia 5 de janeiro, impactará diretamente o custo operacional do transporte rodoviário de cargas. 
Conforme a empresa, se repassado integralmente aos consumidores, nas bombas a alta do diesel pode chegar a 3,8% (o equivalente a R$ 0,12 o litro). Com base nessa estimativa, estudo da NTC&Logística (Associação Nacional de Transporte de Cargas e Logística) aponta que o frete pode subir cerca de 1,1%. O cálculo considerou o consumo de combustível de um caminhão trator 4×2 tracionando carreta furgão de três eixos, com capacidade para 26,2 toneladas de carga.
A previsão é que o custo tenha um aumento médio de 0,85% a 1,1%, variando conforme a distância, explica Neuto Gonçalves dos Reis, diretor técnico da NTC&Logística. Isso porque, dependendo o tipo de operação, o gasto com combustível representa de 15% a 40% do custo do transporte. O menor índice é para fretes urbanos ou em rotas curtas. Já no transporte rodoviário, como para o agronegócio, em que são utilizados veículos pesados com grandes distâncias, o peso do combustível pode subir para 40%.
“É um aumento significativo porque, no mês passado, já tivemos um aumento na faixa de 1,2%. Somadas as duas altas, isso pode representar a margem de lucro do transportador, que já é muito pequena. A nossa recomendação é que esses aumentos sejam repassados ao frete, porque eles estão sendo mensais”, diz Neuto Gonçalves.

Revisão de preços
A Petrobras justificou a alta do preço do diesel nas refinarias com base na elevação do petróleo nos mercados internacionais, na valorização do real desde a última revisão de preços (em dezembro) e em ajustes na competitividade no mercado interno de gasolina e diesel. A gasolina permaneceu inalterada. 
Desde setembro do ano passado, a estatal adotou uma nova política, com revisões periódicas dos preços dos combustíveis, a fim de adequar os valores ao mercado internacional. 
Combustíveis mais caros 
Em um ano, o litro do diesel ficou aproximadamente R$ 0,05 mais caro. Em janeiro de 2016, o preço médio do diesel comum foi de R$ 3 e o do S-10 foi de R$ 3,14, segundo dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). Na primeira semana de 2017, o litro do diesel comum ficou, na média, em R$ 3,04 e o do S-10, em R$ 3,19. A gasolina passou de R$ 3,67 para R$ 3,76. Já o etanol aumentou de R$ 2,71 para R$ 2,86.
Fonte: Agência CNT de Notícias
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Tour virtual à exposição especial “25 Anos do Boxster” no Museu da Porsche

44º Dia Internacional dos Museus em 16 maio de 2021 Os museus cuidam de tesouros e contrib…