Após iniciar a exportação de automóveis do Complexo Industrial de Resende para os países da América Latina em 2016, a fábrica da Nissan começou a enviar veículos também para a Argentina. Mais de 2 mil unidades de modelos Nissan March e Nissan Versa brasileiros já foram embarcadas para atender a demanda do mercado argentino.
O Chairman da Nissan América Latina, José Valls, reforça que “Resende é uma planta moderna, com elevados indicadores de qualidade, escolhida para se tornar uma plataforma de exportação para a América Latina. Foi construída para entregar o melhor da qualidade e tecnologia japonesa em toda a região”. Desde abril de 2016 a planta de Resende exporta seus modelos para os mercados da América Latina, e hoje já entrega unidades na Argentina, Bolívia, Chile, Costa Rica, Peru, Panamá, Paraguai e Uruguai.
A expectativa do executivo é duplicar o volume de exportação e ampliar o número de países que irão receber os produtos brasileiros no ano-fiscal de 2017. “A região possui um potencial significante para a Nissan. Nosso time está se preparando para uma crescente demanda na região nos próximos anos, para a qual Resende se transformará em um polo de exportação”, afirma ele.
 

Complexo Industrial de Resende
Inaugurado em abril de 2014, o novo Complexo Industrial permite que a Nissan produza mais veículos no Brasil e o objetivo é que eles sejam cada vez mais nacionais. Por isso, a empresa montou uma área ao lado da unidade de Resende, com infraestrutura completa, para receber fornecedores importantes para sua operação e aumentar a nacionalização dos componentes. O foco na qualidade também fez a Nissan tomar a decisão de ter um Complexo Industrial completo no país, garantindo assim seus elevados padrões mundiais de produção, com áreas de estamparia e de injeção de plásticos dentro de sua unidade, algo incomum nas fábricas instaladas no Brasil em função da complexidade e dos elevados valores de investimentos que exigem. Com estas áreas integradas ao processo, se ganha, além de qualidade, em tempo de produção, redução de estoques e flexibilidade para o mix de fabricação.
Essa unidade industrial recebeu um dos maiores investimentos realizados no país para a construção de uma fábrica de automóveis, de R$ 2,6 bilhões, exatamente para ter esse ciclo de produção completo. No total, a capacidade é para produzir até 200 mil veículos e 200 mil motores por ano. Desde abril de 2016 a planta de Resende exporta seus modelos para os mercados da América Latina, e hoje já entrega unidades na Argentina, Bolívia, Chile, Costa Rica, Peru, Panamá, Paraguai e Uruguai.
 
O conceito de fábrica sustentável do Complexo Industrial da Nissan em Resende vai além do uso de equipamentos de última geração e processos avançados de produção de veículos e motores. O compromisso em ser uma unidade verde, uma das mais sustentáveis da Nissan em todo o mundo, nasceu já na concepção do projeto dos prédios e de toda a infraestrutura.
Os prédios apresentam sistemas de iluminação e ventilação naturais, que reduzem o consumo de energia e, consequentemente, têm baixo impacto ambiental. Há uma atenção especial com o sistema de tratamento de resíduos utilizados no processo produtivo, para reutilização da água e segregação de resíduos sólidos para correta destinação de descarte. O objetivo é reduzir constantemente as emissões de CO2 e a geração de compostos orgânicos voláteis (VOCs) provocados pela produção. A empresa também cuida do ecossistema da região da fábrica.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Nissan comemora 20 anos de uma história de sucesso no Brasil

Da importação de carros à fabricante nacional de automóveis, marca consolida sua presença …