Além de celebrar, aniversários são também bons momentos para reflexões. E, ao olhar para os três anos do Complexo Industrial de Resende, no sul do estado do Rio de Janeiro, a Nissan tem três grandes motivos para festejar. Além da própria data, a empresa japonesa comemora o início da produção do Nissan Kicks, terceiro modelo feito na unidade, além da marca de um ano do projeto de exportação, que transformou a fábrica num polo fornecedor para oito países da América Latina.
 
O Complexo Industrial de Resende é a primeira fábrica 100% Nissan no Brasil. Os primeiros frutos foram o compacto March e o motor 1.6 16V flexfuel, produzidos sob o alto padrão japonês, cuja produções iniciaram-se em 2014. Desde então, a unidade não parou de acelerar. Menos de um ano após o início das atividades, a Nissan começou a produzir também o motor 1.0 12V de três cilindros e o sedã compacto Nissan Versa (abril de 2015). E agora em abril, com investimentos de R$ 750 milhões, o Complexo inicia a produção do crossover compacto Nissan Kicks, um produto criado para ser global.
 
 
“O complexo de Resende nasceu com o foco de produzir veículos nos mais rigorosos padrões japoneses de qualidade e os resultados nesses três últimos anos mostram que esse objetivo vem sendo cumprido conforme estabelecido em seu projeto original. A fábrica tem papel fundamental para o crescimento sustentável da Nissan no Brasil e para o fortalecimento da estratégia da companhia para a América Latina, sendo que, com as exportações da produção brasileira, já levamos nossos veículos a oito países da região. Tudo isso só é possível graças ao trabalho e comprometimento de toda nossa equipe”, afirma Marco Silva, presidente da Nissan do Brasil.
 
Atualmente, o Complexo Industrial de Resende conta com cerca de 1.800 funcionários, que respondem por um ciclo de produção completo. As atividades na unidade vão desde a área de estamparia até as pistas de testes, passando pela estamparia, chaparia, pintura, injeção de plásticos, montagem e inspeção de qualidade, além da fábrica de motores. A planta já produziu cerca de 115 mil automóveis nesses três anos.
 
Para Hitoshi Mano, vice-presidente de Operações e Manufatura da Nissan do Brasil, um dos segredos do sucesso do Complexo é a capacitação dos funcionários. “Além de todos os recursos tecnológicos, um grande diferencial é o forte investimento no treinamento de nossos funcionários. Isto se reflete na qualidade dos nossos produtos. Temos em Resende processos de produção que estão entre os mais bem avaliados em todas as unidades da Nissan no planeta”.
 
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Renault anuncia investimento de R$ 1,1 bilhão no Brasil

O anúncio reafirma a importância do mercado brasileiro para o Grupo Renault A Renault do B…