A Interbrand, entidade americana que pesquisa e elege as marcas de produtos mais ecológicos e com melhores políticas de sustentabilidade, destaca a liderança da indústria automobilística no ranking global das empresas “verdes” com o primeiro lugar atribuído à Ford.
 
O ranking Best Global Green Brands 2014 é liderado pela Ford, seguida pela Toyota, Honda e Nissan que atestam a preocupação de grandes marcas automotivas mundiais com a preservação do meio ambiente, economia de combustível e menores emissões de poluentes.
 
O bom desempenho nas políticas de sustentabilidade foram responsáveis pelos votos atribuídos pela Interbrand, o que significa que a performance ambiental, aliada à percepção que os clientes têm dessa logística, fazem da Ford, Toyota, Honda e Nissan as marcas mais “verdes” do mundo.
 
Ao invés de se entrincheirar e cortar custos, quando o mercado futuro parece incerto, as marcas líderes devem servir de exemplo para outras que precisam aceitar o fato de que o crescimento positivo vem quando elas investem em “upgrades” e ofertas mais relevantes. 
 
Em última análise, o Marketing moderno, que pensa na saúde dos clientes, no aquecimento global, que poderá trazer um efeito devastador para a humanidade, para o qual poucas empresas dão bola, entra em nova rota na busca das marcas pela de liderança mundial.
 
Isso acontece quando as grandes marcas criam um espaço para pensar grande, com muito empenho não apenas em termos de negócios e do lucro, mas como gestores e agentes de mudança cultural corporativa. Marcas que destravarem esse amplo potencial, mais rapidamente, vão mudar a imaginação do público, revitalizar as organizações e mudar nossa percepção do que é possível.
 
No ano passado, a líder das empresas “verdes” foi a Apple, agora atropelada por quatro fabricantes de automóveis, lideradas pela Ford, reconhecidamente uma companhia que quase deixa de ser automobilística para entrar numa nova era de empresa de tecnologia voltada para o bem estar e qualidade de vida de seus clientes.
 
A Ford tornou-se, recentemente, um exemplo para outras  montadoras globais que só agora passaram a se preocupa r com a incorporação da tecnologia embarcada em seus veículos de entrada e de grande produção. É o caso do Novo Ka que já sairá de fábrica com tecnologias de segurança, comunicação e entretenimento suficientes para agradar o agitado mercado dos carros de entrada. 
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

IMSA: Derani vai em busca de mais um pódio neste domingo em Mid-Ohio

Brasileiro destaca características difíceis do traçado, mas segue confiante e embalado, ap…