Em uma temporada em que todas as equipes evoluíram em seus desempenhos, e praticamente igualando-se – exceção feita à Renault e.Dams, que permanece com o melhor conjunto -, a missão de Lucas di Grassi não tem sido das mais simples. Entretanto, até aqui o brasileiro da ABT Schaeffler Audi Sport acumulou dois pódios, uma pole position e um quinto lugar, ocupando a vice-liderança da competição 29 pontos distante do líder Sébastien Buemi, que conta com o melhor carro da temporada.
Agora, a Fórmula E faz sua segunda aparição na Cidade do México. A etapa acontece neste sábado (1º) com largada às 19 horas (de Brasília). O circuito de 2.098 metros utiliza partes do traçado do Autódromo Hermanos Rodríguez, que recebe também a Fórmula 1 e o Mundial de Endurance – mas em configuração distinta. E foi na etapa com a maior altitude do calendário que Di Grassi, em 2016, teve uma de suas maiores alegrias. E decepções.
O brasileiro havia vencido a prova e o pódio da corrida mexicana provou-se um dos mais especiais de toda a temporada: a cerimônia foi na área de arquibancadas conhecida como estádio, onde os fãs fizeram grande festa para o vencedor. Entretanto, uma hora depois de estourado o champanhe, a decepção: seu carro estava 1,5 quilo abaixo do peso mínimo permitido, causando sua desclassificação e a perda dos 28 pontos conquistados, o que foi determinante para que Sébastien Buemi conquistasse o título – por apenas dois pontos.
 
“Acabamos perdendo aquela corrida em um erro de cálculo, o que pode acontecer quando a equipe trabalha buscando o limite de seu desempenho. A conta foi otimista, e no final acabamos abaixo do peso e perdemos a vitória. Uma pena, porque aquela cerimônia de pódio foi inesquecível e não vejo a hora de subir lá de novo”, lembrou Lucas. 
Di Grassi destaca o árduo trabalho que sua equipe, a ABT Schaeffler Audi Sport, tem feito no intervalo entre a etapa de Buenos Aires, realizada em 18 de fevereiro, da qual largou da pole position, e a que acontecerá a 2.500 metros de altitude na capital mexicana. “Fizemos um forte trabalho de desenvolvimento e muitas sessões de simulador tentando melhorar as coisas e tirar aquele sentimento de vitória que escorreu pelos dedos como areia fina “, afirmou.
A missão, reconhece Lucas, não é das mais fáceis. “É possível? É. Temos de ser mais constantes, cometer menos erros e tentar vencer com a mesma estratégia que usamos na temporada passada. Depois da decepção no México, conseguimos vencer duas corridas consecutivas em Long Beach e Paris. Então, temos de ser mais agressivos, buscar mais as vitórias e contar também com a sorte para diminuir essa desvantagem”, calcula.
A largada para a quarta etapa da Fórmula E acontece neste sábado (1º) às 19 horas (de Brasília). O Fox Sports 2 transmite a prova ao vivo e mostra também os treinos a partir das 18 horas.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Foton lança nova geração de caminhões urbanos

Recentemente lançados na China, os caminhões da Família Aumark S trazem atributos premium …