Na primeira semana após entrar em vigor o aumento da taxa do PIS (Programa Integração Social) e da Cofins (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social) cobrada sobre combustíveis, a gasolina ficou, em média, 7,5% mais cara no país. Já o preço do diesel para os consumidores subiu cerca de 4,9%. Na bomba, o valor do diesel S-10 ficou, aproximadamente, 4,7% maior. 
É o que aponta o levantamento semanal de preços feito pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis). A pesquisa considerou os valores cobrados por até 8,5 mil postos de combustíveis em todo o país entre os dias 1º e 7 de fevereiro. 
O crescimento tributário passou a valer no primeiro dia do mês, como uma das medidas adotadas pelo governo federal para aumentar a arrecadação e equilibrar as contas públicas.
A gasolina, que estava custando em torno de R$ 3,03 antes do reajuste tributário, passou para R$ 3,26. O menor valor encontrado foi R$ 2,35 e o maior foi R$ 4,51. 
O diesel comum custava R$ 2,61 antes de 1º de fevereiro e passou para R$ 2,74. Na pesquisa da ANP, o litro mais barato identificado estava em R$ 2,19 e o mais caro R$ 3,64.
Já o diesel S-10 passou de R$ 2,76 para R$ 2,89, na média. Os preços variaram de R$ 2,09 até R$ 3,75, conforme o levantamento.
Entre todos os estados, o Acre é onde os consumidores pagam os maiores valores pelos três combustíveis. Nos postos do Estado, o valor médio do litro da gasolina está em R$ 3,62, o do diesel fica em R$ 3,25 e o do diesel S-10, R$ 3,32. 
O menor preço da gasolina é encontrado na Paraíba, onde o litro custa, em média, R$ 3,08. 
O menor valor encontrado do diesel é R$ 2,65, nos estados de São Paulo e Alagoas. Já o do diesel S-10 está em São Paulo e no Paraná, ao custo de R$ 2,81.
 
Fonte: Agência CNT de Notícias
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Suzuki Jimny vem com novidades na linha 2022

Disponível em quatro versões, SUV traz atualizações estéticas e mantém o mesmo DNA 4×…