Na primeira semana após entrar em vigor o aumento da taxa do PIS (Programa Integração Social) e da Cofins (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social) cobrada sobre combustíveis, a gasolina ficou, em média, 7,5% mais cara no país. Já o preço do diesel para os consumidores subiu cerca de 4,9%. Na bomba, o valor do diesel S-10 ficou, aproximadamente, 4,7% maior. 
É o que aponta o levantamento semanal de preços feito pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis). A pesquisa considerou os valores cobrados por até 8,5 mil postos de combustíveis em todo o país entre os dias 1º e 7 de fevereiro. 
O crescimento tributário passou a valer no primeiro dia do mês, como uma das medidas adotadas pelo governo federal para aumentar a arrecadação e equilibrar as contas públicas.
A gasolina, que estava custando em torno de R$ 3,03 antes do reajuste tributário, passou para R$ 3,26. O menor valor encontrado foi R$ 2,35 e o maior foi R$ 4,51. 
O diesel comum custava R$ 2,61 antes de 1º de fevereiro e passou para R$ 2,74. Na pesquisa da ANP, o litro mais barato identificado estava em R$ 2,19 e o mais caro R$ 3,64.
Já o diesel S-10 passou de R$ 2,76 para R$ 2,89, na média. Os preços variaram de R$ 2,09 até R$ 3,75, conforme o levantamento.
Entre todos os estados, o Acre é onde os consumidores pagam os maiores valores pelos três combustíveis. Nos postos do Estado, o valor médio do litro da gasolina está em R$ 3,62, o do diesel fica em R$ 3,25 e o do diesel S-10, R$ 3,32. 
O menor preço da gasolina é encontrado na Paraíba, onde o litro custa, em média, R$ 3,08. 
O menor valor encontrado do diesel é R$ 2,65, nos estados de São Paulo e Alagoas. Já o do diesel S-10 está em São Paulo e no Paraná, ao custo de R$ 2,81.
 
Fonte: Agência CNT de Notícias
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Mercedes-Benz do Brasil é premiada por iniciativas de diversidade

Seguindo estratégia global da Daimler, Companhia valoriza as diferenças e fortalece a cult…