Com o objetivo de pedir mais fiscalização para o serviço de mototáxi em Teresina,  um grupo de mototaxistas se reuniu, na sede da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans),  com o superintendente da Strans, Carlos  Augusto Daniel Júnior, o diretor de Operação e Fiscalização, coronel Jaime Oliveira, e o representante da Secretaria de Segurança, delegado Paulo Henrique.
 
O município conta, atualmente, com 2.027 mototaxistas regularizados, que reclamam da falta de fiscalização, pois existem mais de 800 mototaxistas clandestinos atuando no mercado de transporte de passageiros. De acordo com o diretor de Operação e Fiscalização da Strans, coronel Jaime Oliveira, após a reunião, ficou decidido que serão intensificadas as operações de fiscalizações, inclusive, contando com a ajuda da Polícia Militar, pois esse é um problema de prática ilegal da profissão. “Contaremos com o apoio da Polícia Militar, pois essa é uma fiscalização muito importante, que necessita de um reforço policial”, acrescentou.
 
No que diz respeito aos coletes, a superintendência está estudando uma forma que evitar a falsificação do equipamento. “A longo prazo, a nossa ideia é elaborar um colete que seja atrelado ao número do chassi da moto, pois assim estaremos dificultando a falsificação desse material”, acrescentou.
 
O coronel ressalta que a população também pode ajudar a inibir os clandestinos. “Os usuários do mototáxi devem utilizar o transporte regularizado, pois assim ele terá um serviço seguro. O usuário deverá observar se o mototaxista tem a permissão para prestar o serviço de transporte de passageiro, se a moto e capacete estão é devidamente padronizados, e, com isso, o usuário poderá ter acesso ao mototáxi regularizado”, finalizou.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

 

 
Com o objetivo de pedir mais fiscalização para o serviço de mototáxi em Teresina,  um grupo de mototaxistas se reuniu, na sede da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans),  com o superintendente da Strans, Carlos  Augusto Daniel Júnior, o diretor de Operação e Fiscalização, coronel Jaime Oliveira, e o representante da Secretaria de Segurança, delegado Paulo Henrique.
 
O município conta, atualmente, com 2.027 mototaxistas regularizados, que reclamam da falta de fiscalização, pois existem mais de 800 mototaxistas clandestinos atuando no mercado de transporte de passageiros. De acordo com o diretor de Operação e Fiscalização da Strans, coronel Jaime Oliveira, após a reunião, ficou decidido que serão intensificadas as operações de fiscalizações, inclusive, contando com a ajuda da Polícia Militar, pois esse é um problema de prática ilegal da profissão. “Contaremos com o apoio da Polícia Militar, pois essa é uma fiscalização muito importante, que necessita de um reforço policial”, acrescentou.
 
No que diz respeito aos coletes, a superintendência está estudando uma forma que evitar a falsificação do equipamento. “A longo prazo, a nossa ideia é elaborar um colete que seja atrelado ao número do chassi da moto, pois assim estaremos dificultando a falsificação desse material”, acrescentou.
 
O coronel ressalta que a população também pode ajudar a inibir os clandestinos. “Os usuários do mototáxi devem utilizar o transporte regularizado, pois assim ele terá um serviço seguro. O usuário deverá observar se o mototaxista tem a permissão para prestar o serviço de transporte de passageiro, se a moto e capacete estão é devidamente padronizados, e, com isso, o usuário poderá ter acesso ao mototáxi regularizado”, finalizou.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Dia Nacional do Trânsito: a importância da revisão de segurança

Especialista cita e explica itens que devem ser checados no carro Levando em consideração …