Conduzir veículo com documentação atrasada ou sem equipamentos de segurança são infrações que podem acarretar na apreensão do mesmo. Neste ano, em Teresina, 8.868 registraram entrada no pátio do Departamento Estadual de Trânsito do Piauí (Detran-PI). Do total, 7.143 já tiveram a situação regularizada por parte de seus proprietários. A motocicleta lidera no número de apreensões, com 6207 registros.
Para Arão Lobão, diretor geral do Detran, o aumento do número de remoções se deu pela intensificação das fiscalizações que estão ocorrendo em todas as zonas da capital e o que se percebe é que os veículos com licenciamento em atraso ou com débito de multas estão entre as principais causas de apreensões.
“Durante as blitzen percebemos várias irregularidades. É necessário que o condutor se conscientize que para circular livremente, o veículo precisa estar de forma regular”, esclarece.
Os proprietários interessados em retirar o veículo do pátio do Detran, devem quitar os débitos existentes, sejam eles referentes a taxas de licenciamento, seguro obrigatório, taxas ou despesas de remoção e depósito. Após o pagamento, o condutor deve abrir um processo no posto do órgão para solicitar a retirada. Apenas o proprietário ou representante legal, através de procuração pública, podem fazê-la.
 
Caso o veículo não seja retirado em até 60 dias, o Detran iniciará o processo para levá-lo a leilão. Os proprietários serão notificados e após 30 dias, caso não haja a regularização, é lançado um edital. Eles ainda contam com o prazo de até o dia anterior ao leilão para a retirada do veículo, assim o órgão dá um prazo máximo de 150 dias para o condutor regularizar a situação diante do órgão.
Leilões: oportunidade de bom negócio
Quem pretende adquirir um carro, moto ou peças para revenda, o leilão de veículos do Detran é uma ótima oportunidade. Com valores abaixo do mercado, os veículos leiloados pelo Departamento chegam a ter preço, em média, 30% menor que o de tabela. Em 2016, o órgão realizou 14 leilões todo do estado. Ao todo, 2.093 lotes foram disponibilizados para arremate somente neste ano.
“O principal motivo da apreensão dos veículos é o licenciamento em atraso. Muitas pessoas permanecem na cultura de que o veículo pode trafegar pela cidade e interior sem estar com a documentação em dia”, afirma o diretor de Infrações do Detran, Levi Gomes.
De acordo com o diretor, os veículos permanecem no pátio porque muitos proprietários, ao terem o veículo apreendido em blitzen de fiscalização, deixam de fazer o resgate, por ser obrigatória a quitação dos débitos. “Por terem um preço menor que os veículos do mercado, em tempo de crise, muitos piauienses tem aproveitado essa oportunidade para comprar um veículo. A maioria encontra-se em bom estado de conservação e o índice de sucatas é bem menor”, destaca Levi.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Porsche atinge recorde de veículos entregues em um mesmo ano no Brasil

A Porsche entregou 2.130 automóveis no mercado brasileiro nos primeiros nove meses de 2020…