Home Notícias Catalisador evita emissão de até 4 toneladas de poluentes por veículo

Catalisador evita emissão de até 4 toneladas de poluentes por veículo

Comentários desativados em Catalisador evita emissão de até 4 toneladas de poluentes por veículo
Pelo menos 4 toneladas de gases poluentes deixaram de ser emitidos por cada carro brasileiro em dez anos graças ao uso do catalisador automotivo, de acordo com o levantamento feito pelo Programa de Inspeção e Manutenção da Cidade de São Paulo. Os dados referentes à fase L2 do Proconve (Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores) integram o livro “25 anos do Catalisador Automotivo e 30 anos do Proconve: Uma estratégia de Sucesso”, lançado pela Umicore neste ano. Segundo a companhia, o componente é responsável por transformar até 98% dos gases tóxicos da queima do combustível do veículo em vapores inofensivos.
“Os dados comprovam o papel determinante do catalisador para a diminuição da poluição e melhoria da qualidade do ar nos últimos 30 anos, quando o Proconve foi criado. Considerando os componentes da segunda fase do Programa, com durabilidade de 10 anos, cerca de 420 quilos de poluentes como CO (monóxido de carbono), HC (hidrocarbonetos) e NOx (óxidos de nitrogênio), deixaram de ir para a atmosfera por veículo circulante a cada ano”, diz Stephan Blumrich, vice-presidente e diretor da Umicore Brasil, fabricante mundial de catalisadores automotivos.
Em veículos mais novos, que contemplam a fase L3 do Programa em diante, e já possuem tecnologias capazes de produzir menos gases tóxicos, cada catalisador chega a impedir que 1,1 toneladas de materiais poluentes cheguem até o ambiente durante a sua vida útil, que varia entre 10 e 15 anos. Neste caso, são 110 quilos de gases tóxicos evitados por ano para cada veículo ou, ainda, 300 gramas por dia.  
 
“Se pensarmos que em 1998, data do início da fase 3 do Proconve, a frota de veículos no País era de 17 milhões de automóveis, podemos afirmar que aproximadamente 18,7 milhões de toneladas de poluentes deixaram de ser emitidos. Isso é muito significativo, principalmente quando avaliamos que a presença desses gases tóxicos no ambiente prejudica diretamente a saúde da população”, explica o executivo.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

Equipe Mercedes-EQ de Fórmula E enfrenta os desafios do primeiro E-Prix de Puebla

Equipe Mercedes-EQ segue líder no campeonato de construtores A equipe Mercedes-EQ de Fórmu…