Executivos do mercado automotivo, que participaram da pesquisa CEO Outlook 2017 realizada pela KPMG, acreditam que a economia global (17%) terá forte impacto no crescimento das empresas nos próximos três anos. De acordo com os líderes, o segundo fator mais crítico é o risco de reputação e da marca (11%), seguido pela economia doméstica (10%). O estudo entrevistou, entre fevereiro e abril deste ano, 1.261 CEOs (Chief Executive Office) no mundo, sendo 50 no Brasil.
O levantamento apontou ainda que os executivos projetam um crescimento ligeiramente menor nos próximos três anos nos países em desenvolvimento: 55% dos entrevistados projetam um crescimento de menos de 2% ao ano, 40% preveem um incremento de 2,4% ao ano e 5% deles esperam um aumento entre 5% e 9,99%.
O estudo ainda questionou os executivos sobre estratégia de crescimento para esse período. Para 55%, a prioridade é a maior participação nos mercados existentes, 49% afirmam foco em inovação e 47% projetam entrar em novos mercados.
Os principais objetivos de investimentos dos CEOs automotivos, segundo a pesquisa, são melhorar o crescimento da linha de base (76%), aumentar a produtividade (57%) e aproximar-se dos clientes (53%). Ao priorizar os países para o crescimento do mercado nos próximos três anos, os CEOs do setor automotivo afirmam que os EUA (50%), o Reino Unido (50%) e a Alemanha (49%) são as regiões prioritárias.
Artigos Relacionados
Leia mais em Notícias
Comentários estão fechados

Veja também

GM apresenta sua primeira picape 100% elétrica

HUMMER EV conta com potência estimada de 1.000 cv, baterias Ultium com autonomia superior …